Por Que Pessoas Anti-Criticismo Sāo Tão Críticas? (Why Are Anti-Judgmental People So Judgmental?)

Em nossa cultura pós-moderna, o versículo bíblico mais citado e amplamente reconhecido não é "Porque Deus amou o mundo", mas "Não julgueis." Ser crítico é visto pelo mundo como o pecado capital, o epítome da hipocrisia que é característico dos cristãos.

Mas não é só o mundo que é rápido para rotular os cristãos como "críticos." Alguns cristãos muitas vezes sāo demasiado prontos para chamar outros crentes de críticos.

Tenho notado uma tendência crescente e isto me preocupa: a saber, que as pessoas que são anti-criticismo são TREMENDAMENTE críticas de qualquer outra pessoa que elas consideram ser críticas. Por um lado, elas frequentemente estāo erradas; além disto, elas são tão duras quanto aquelas a quem condenam e continuamente pressupoem o pior.

É interessante quando estas atitudes vêm de pessoas que se orgulham de sua tolerância e que constantemente condenam os outros por serem críticos. Chamar alguém de hipócrita, quando nāo se conhece a pessoa, seu coração ou seus motivos, nāo é de fato julgá-la?

Este assunto me veio a mente alguns meses atrás, quando compartilhei o seguinte na minha página de Facebook:

Estamos perdendo o sentimento de uma reverência singular para com Deus. Termos como "maravilhoso" eram no passado reservados a Deus, mas hoje em dia, descrevem um 'bom partido', um novo download de música ou um cachorro quente saboroso.

Várias pessoas que comentaram, rapidamente pressupuseram que eu estava criticando pessoas que usam a palavra "maravilhoso" e que eu estava tentando fazer as pessoas sentirem-se culpadas por falar de coraçāo, ou acharam que eu estava promovendo o legalismo. Em resposta a alguns comentários iniciais, um membro da equipe da Eternal Perspectives Ministries (EPM) e eu postamos um esclarecimento mas, ainda assim, outros comentários críticos vieram, considerando que o post era "uma crítica." (A propósito, gosto de receber comentários em minha página do Facebook de gente que discorda de mim, contanto que sejam respeitosos para com os outros.)

Mas, infelizmente, esta atitude de "criticismo daqueles que são considerados como críticos" não se limita à mídia social. Ela extrapola também à crenças doutrinárias, tais como a doutrina do inferno, em que os que creem no que Jesus disse nas Escrituras, são acusados ​​de não serem como Jesus. Enquanto isso, pessoas que não tomam a sério as palavras de Cristo sobre o inferno, se congratulam seriamente como sendo como Jesus. (Visto que Jesus ensinou sobre a realidade do inferno eterno, quem somos nós para pensar que somos amorosos demais para crer que tal lugar exista? Cremos que somos mais amorosos do que Jesus?)

Gostaria de encorajar a todos a fazerem isto: não pressuponham o pior, e sejam lentos para rotular outros como "críticos". Mostre respeito e trate os outros com dignidade. Acima de tudo, por favor, não condene pessoas, presumindo saber seus motivos. Tiago 1:19 coloca desta forma: "Todo homem seja pronto para ouvir, tardio para falar e tardio para se irar." 


Why Are Anti-Judgmental People So Judgmental?

In our postmodern culture, the most quoted and widely recognized verse is not “For God so loved the world,” but “Judge not.” Being judgmental is seen by the world as the cardinal sin, the epitome of hypocrisy that Christians have a corner on.

But it’s not just the world that’s quick to label Christians as “judgmental.” Some Christians are often all too ready to call other believers judgmental.

There’s a growing trend I’ve noticed and have become concerned about: namely, that people who are anti-judgmental are SO judgmental of anyone else they perceive to be passing judgment. One, they’re often wrong; two, they’re just as harsh as those they condemn and continuously assume the worst.

It’s interesting when these attitudes come from people who pride themselves on their tolerance and constantly condemn others for being judgmental. Isn’t calling people hypocrites, when you don’t know them, their heart or their motives, somewhat judgmental?

This subject came to my attention several months back when I shared this on my Facebook page:

We are losing a sense of unique reverence for God. Terms such as “awesome” were once reserved for God, but now describe a good catch, new music download or a tasty corn dog.

Several commenters were quick to assume that I was judging those who used the word “awesome” and trying to make people feel guilty from speaking from their hearts, or they indicated that I was promoting legalism. An EPM staff member and I made clarifying statements in reply to some early comments, but other critical comments came in from those still assuming the post was “judgmental.” (By the way, I welcome comments on my Facebook page from those who disagree with me, as long as they’re respectful of others.)

But unfortunately, this “judgmental about those who are deemed as judgmental” attitude isn’t limited to social media. It transcends to doctrinal beliefs such as hell, in which those who believe what Jesus said in Scripture are accused of not being like Jesus. Meanwhile, those who don’t take Christ’s words about hell seriously commend themselves as being like Jesus. (Since Jesus taught the reality of eternal hell, who are we to think we’re too loving to believe there is such a place? Do we think we’re more loving than Jesus?)

I would encourage everyone to do this: don’t believe the worst, and be slow to label others as “judgmental.” Show respect and treat others with dignity. Above all, please don’t condemn people by presuming you know their motives. James 1:19 puts it this way: “let every person be quick to hear, slow to speak, slow to anger.”

Photo: Unsplash

Randy Alcorn, founder of EPM

Randy Alcorn (@randyalcorn) is the author of over fifty books and the founder and director of Eternal Perspective Ministries