Quando Temos Dificuldade em nos Perdoarmos a Nós Mesmos por um Pecado Passado (What If You Struggle to Forgive Yourself for a Past Sin?)

Através dos anos, recebi mensagens de crentes que dizem algo parecido com isso: "Eu luto para me perdoar por um pecado passado. Clamei muitas vezes pelo perdão de Cristo, mas não parece resolver meus sentimentos de culpa nem aceitar o perdão de Deus".

Responda ao Diabo

Se este tipo de mensagem reflete seus sentimentos, o que eu encorajo a fazer é isto: pergunte-se: "Aceitei o sacrifício de Cristo em meu favor, e também confessei a Deus esse pecado?". Se a resposta for sim, será que Deus, por um lado, diz "Eu o perdoei completamente" (o ensino claro das Escrituras), mas aí se voltaria e o puniria com sentimentos de culpa, quando, na verdade, ele morreu para removê-la? Não, obviamente que não. Isto significa que a fonte do seu desespero não é Deus, mas o maligno. Portanto, responda ao diabo e diga: "Você está certo, eu sou um pecador. Mas Cristo me perdoou completamente e ele é infinitamente maior que você, como 1Jo 4.4 diz. Por isso, vou acreditar no meu Senhor, e não em você!" (A. W. Tozer intitulou um de seus editoriais "Eu respondo ao diabo", e esse se tornou, depois, o título de um de seus livros). 

Jesus disse que Satanás é um mentiroso, e quando ele mente, fala sua língua nativa. Mentir é o que ele sabe fazer de melhor. Satanás está mentindo para você, e dizendo que nesse caso, a obra redentora de Cristo não está disponível para você. Cristo é aquele que fala a verdade. O que ele diz? "E o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora" (Jo 6.37). "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça". (1Jo 1.9). Se nós acreditarmos em Satanás quando ele diz que a morte de Cristo não foi suficiente para cobrir cada um dos nossos pecados, então estamos escolhendo acreditar no mentiroso mais consumado de todos os tempos, aquele cuja língua nativa é a mentira.

Então, confessou seus pecados a Cristo? Se sim, então você está perdoado. Se há ou não dúvidas, se há ou não um senso emocional subjetivo de "sentir-se perdoado" é irrelevante—o fato é, se você fez o que 1Jo 1.9 diz (a nāo ser que Deus não esteja falando a verdade!), você está perdoado. 

Não Podemos Ousar Chamar Deus de Mentiroso

Todos os pecados necessitam ser punidos—se não aceitamos a punição de Cristo em nosso lugar, nós mesmos a assumimos. Mas como não temos qualquer justiça com a qual pagar nossos pecados, jamais poderemos expiá-lo, e, por isso, a auto-punição jamais acabará. Somente nós, que fomos cobertos pelo sangue de Cristo, escaparemos do julgamento eterno por nossos pecados, pois este julgamento foi colocado sobre alguém, cujo dom da expiação nós recebemos.

Nós simplesmente não somos bons o suficiente para pagar por nossos próprios pecados. Portanto, se escolhemos acreditar que não estamos perdoados após confessarmos, dizemos que o sacrifício de Cristo não foi bom o suficiente para nos salvar por sua graça, e assim, chamamos Deus de mentiroso. 

Chuck Swindoll escreveu: "Ao nos centrarmos em nos perdoarmos a nós mesmos, retiramos o enfoque de Deus e o apontamos para nós—tornando duplamente difícil abrir māo do nosso pecado! Ele nos perdoou. Devemos simplesmente receber esse perdão e descansar nele. Isso quer dizer abrir māo de pecados que queremos segurar, recusar-nos a revisitá-los em nossas mentes, e permitir que a verdade do nosso perdão nos cubra com Sua paz.  A absolvição vinda do Senhor é muito mais poderosa do que a absolvição que vem de nós mesmos". 

Se você sente que não é digno do perdão de Deus, você está certo—nenhum de nós é digno de sua graça. Se o fôssemos, não necessitaríamos dela! Mas Deus nos mostrou sua graça pelo fato de que enquanto ainda éramos depravados e pecadores, Cristo morreu por nós (Rm 5.8). Ele vê o que há de pior em nós e mesmo assim, nos ama. 

Confie na Palavra De Deus, e Não em Seus Sentimentos

Não acredite na mentira de Satanás de que sua relação com Deus depende de você sempre fazer o que é certo ou se sentir de uma determinada forma. O diabo pode até tentar convencê-lo de que você perdeu sua salvação. Se isso ocorrer, relembre o que as Escrituras dizem. Não podemos fazer absolutamente nada para ganhar nossa posiçāo com Cristo (Ef 2.8-9; Tt 3.5). Portanto, não podemos fazer nada para perdê-la. Ninguém pode nos arrebatar das mãos do Pai (Jo 10.29). O deixar de fazer boas obras, ou o fazer obras más, não pode nos tirar das mãos dele, simplesmente porque, para início de conversa, não são nossas boas obras que nos colocam lá (não temos boas obras sem estar em Cristo), mas apenas a obra perfeita de Cristo feita em nosso favor. 

Cuidado com o deixar seus sentimentos impedirem que você confie no Senhor. Dessa forma, você cairá na armadilha do diabo e em seus esquemas, os quais somos ordenados a conhecer, para que ele não alcance vantagem sobre nós (2Co 2.11). Uma das coisas que Satanás adora fazer é torná-lo tão focado em sua culpa, que você para de servir na igreja, para de testemunhar, para de crescer na fé, e para de confiar naquilo que a Palavra de Deus diz. Uma vez que ele não pode impedir você de ir para o Céu, agora ele quer desviá-lo e distrai-lo de servir a Deus. Ele quer criar um abismo entre você e Deus. Não o deixe fazer isso. Peça a Deus para que o ajude a não cair na armadilha de Satanás. 

Creia em Cristo e medite nas Escrituras, não em como você se sente, e, eventualmente, Deus mudará como você se sente. Você está perdoado—eventualmente, você se sentirá perdoado, mas até que isso aconteça, ainda assim está perdoado. Não confie também em seu intelecto caso este contradiga a Palavra de Deus. Não confie em mais nada além de Sua Palavra—force seu intelecto a se submeter a ela, peça a Deus por ajuda, e, eventualmente, suas emoções provavelmente irão por esse caminho; mas, mesmo que isto nāo aconteça, a verdade ainda é a verdade. Se você pecou e confessou, você está perdoado. Nenhum pecado é maior do que o nosso Salvador. 

Satanás quer que você seja envolvido pelas trevas e pelo desespero, pois ele conhece a verdade que liberta (Jo 8.32), e ele quer você na escravidão. Cristo, ao contrário, quer que você abrace Sua graça e aceite a capacidade que ele dá para andarmos na luz, como ele está na luz, e o seu sangue nos purifica de todo pecado (1Jo 1.7). (Para deixar claro: a Bíblia ensina não apenas o perdão de nossos pecados, mas também que há consequências para nossas escolhas. O perdão quer dizer que Deus elimina nossa condenação eterna e nossa culpa. Mas isso não quer dizer que nossas ações, nesta vida, não possuem consequências na terra. Pessoas perdoadas podem contrair uma doença venérea ou ser presas por dirigirem embriagadas, por exemplo). 

Cristo É o Centro de Tudo

No final das contas, recusarmo-nos a perdoar a nós mesmos é um ato de orgulho—é fazer a nós mesmos e a nossos pecados maiores do que Deus e que Sua graça. 

Tim Keller escreveu em Deuses Falsos: "Quando as pessoas dizem 'eu sei que Deus me perdoa, mas eu não consigo me perdoar', elas querem dizer que desapontaram um ídolo, cuja aprovação lhes é mais importante do que a de Deus". 

C. S. Lewis expressou um sentimento similar em uma de suas cartas: "Eu acho que como Deus nos perdoa, necessitamos também nos perdoar. Doutra forma, é quase como nos estabelecermos como um tribunal mais elevado do que Ele". 

Tal como eu, você é um miserável, um pecador indigno. Nāo merecemos a graça de Deus. Mas ele no-la dá de qualquer forma—e isso deveria nos fazer dançar de alegria! Por isso, não seja egocêntrico e presunçoso, como se isso tivesse a ver com você, e você tivesse que elaborar tudo e criar um caminho. Cristo elaborou tudo e fez um caminho para você. Não se trata de sua própria justiça—trata-se da justiça de Cristo em seu favor (2Co 5.21). Ele é Aquele que nos tornou filhos amados (Ro 8.16) e nos chamou de seus amigos (Jo 15.15). 

Se você ainda está tendo dificuldade, sim peça a ajuda do seu pastor ou de um amigo ou conselheiro cristão maduro. Ouça a Deus, que morreu por você na cruz, e não ao Inimigo de Deus, que está dizendo que a obra de Cristo na cruz não foi boa o suficiente. Leia em voz alta as palavras de graça e perdão, escreva-as e as memorize. Escolha a liberdade, não a escravidão. Não se desespere, mas se alegre na graça de Deus. O preço foi pago—a você cabe aceitar a expiação de Cristo, ao invés de tentar repeti-la. 

Abrace o perdão de Deus. Relaxe. Regozije-se. 

"Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" (Ro 8.1).

"Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo; por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta graça na qual estamos firmes; e gloriamo-nos na esperança da glória de Deus" (Ro 5.1-2).

 


 

I’ve received messages over the years from believers who say something along the lines of this: “I struggle with forgiving myself for a past sin. I’ve asked Christ’s forgiveness for it many times but can’t seem to resolve my feelings of guilt and accept God’s forgiveness.”

Talk Back to the Devil

If you can relate to the sentiment of this message, here’s what I encourage you to do: ask yourself, “Have I accepted Christ’s sacrifice on my behalf, and also confessed to God this sin?” If the answer is yes, would God on the one hand say, “I’ve fully forgiven you” (the clear teaching of Scripture) but then turn around and plague you with guilt feelings when in fact He died to remove your guilt? No, obviously not. That means the source of your despair is not God but the evil one. So talk back to the devil and say, “You’re right, I’m a sinner. But Christ has fully forgiven me and He is infinitely greater than you, as 1 John 4:4 says. So I will believe my Lord, not you!” (A. W. Tozer entitled one of his editorials “I talk back to the devil,” and it later became the title of one of his books.)

Jesus said Satan is a liar, and when he lies he speaks his native language. Lying is what he’s best at. Satan is lying to you and saying Christ’s redemptive work is not available to you in this case. Christ is the teller of truth. What does He say? “Whoever comes to me I will never drive away” (John 6:37, NIV). “If we confess our sins, he is faithful and just to forgive us our sins and to cleanse us from all unrighteousness” (1 John 1:9). If we believe Satan when he says Christ’s death wasn’t sufficient to cover our every sin, then we are choosing to believe the most accomplished liar of all time, the one whose native language is lies.

So, have you confessed your sins to Christ? If yes, then you are forgiven. Whether or not you have doubts, whether or not you have a subjective emotional sense of “feeling forgiven” is irrelevant—the fact is, if you have done what 1 John 1:9 says, (and unless God isn’t telling the truth!) you are forgiven.

We Dare Not Call God a Liar

All sins must be punished—if we don’t accept Christ’s punishment on our behalf, we leave ourselves to take it on. But since we have no righteousness to pay for our sins, we can never atone for them, and therefore the self-punishment can never end. Only we who are covered with the blood of Christ will escape eternal judgment for our sins, because that judgment has been laid on another whose gift of atonement we have received.

We simply aren’t good enough to ever pay off our own sins. So if we choose to believe we’re unforgiven after we’ve confessed, we say Christ’s sacrifice wasn’t good enough to save us by His grace, and in effect, we call God a liar.

Chuck Swindoll wrote, “By focusing on forgiving ourselves, we have taken the spotlight off of God and pointed it at us—making it doubly difficult to let go of our sin! He has forgiven us. We must simply receive that forgiveness and rest in it. That means releasing those sins we want to hold on to, refusing to revisit them in our minds, and allowing the truth of our forgiveness to cover us with His peace. Absolution from the Lord is far more powerful than absolution from oneself.”

If you feel you’re not worthy of God’s forgiveness, you’re right—none of us is worthy of His grace. If we were worthy of it, we wouldn’t need it! But God showed His grace to us in that while we were yet depraved and sinful, Christ died for us (Romans 5:8). He has seen us at our worst and still loves us.

Trust His Word, Not Your Feelings

Don’t buy into Satan’s lie that your relationship with God depends on you always doing the right thing and feeling a certain way. The devil may even try to convince you that you’ve lost your salvation. If so, rehearse what Scripture says. We can do absolutely nothing to earn our standing with Christ (Ephesians 2:8-9Titus 3:5). Therefore, we can do nothing to lose it. No one can pluck us out of the Father’s hands (John 10:29). Our ceasing to do good works, or doing bad works, cannot move us out of His hands, simply because it is not our good works that put us there in the first place (we have no good works apart from Christ), but only the perfect work of Christ done on our behalf.

Beware of letting your feelings keep you from trusting the Lord. Otherwise you’ll fall into the devil’s trap and fall for his schemes, which we are commanded not to be ignorant of, so that he cannot outwit us (2 Corinthians 2:11). One of the things Satan would love to do is get you so focused on your guilt that you stop serving at church, stop witnessing, stop growing in your faith, and stop trusting what God’s Word says. Since he cannot keep you from going to Heaven, now he wants to derail you and distract you from serving God. He wants to create a wedge between you and God. Do not let him do this. Ask God to help you not fall into Satan’s trap.

Believe Christ and meditate on Scripture, not on how you feel, and eventually God will change how you feel. You are forgiven—eventually you’ll feel forgiven, but until you do, you still are. Don’t trust your intellect any more than your emotions if it is contradicting the Word of God. Don’t trust anything but His Word—force your intellect to submit to it, ask God for help, and eventually your emotions will likely follow, but whether they do or not, the truth is still the truth. If you have sinned and confessed, you are forgiven. No sin is bigger than our Savior.

Satan wants you to be shrouded in darkness and despair, because he knows the truth will set you free (John 8:32), and he wants you in bondage. Christ, in contrast, wants you to embrace His grace and accept His empowerment to walk in the light, as He is in the light, His blood covering us from all our sins (1 John 1:7). (One clarification: the Bible teaches not only forgiveness of our sins but also consequences of our choices. Forgiveness means that God eliminates our eternal condemnation and guilt. But it does not mean that our actions in this life have no consequences on earth. Forgiven people can still contract an STD or go to jail for drunk driving, for example.)

It’s All About Christ

Ultimately, refusing to forgive ourselves is an act of pride—it’s making ourselves and our sins bigger than God and His grace.

Tim Keller writes in Counterfeit Gods, “When people say, ‘I know God forgives me, but I can’t forgive myself,’ they mean that they have failed an idol, whose approval is more important to them than God’s.”

C. S. Lewis expressed a similar sentiment in one of his letters: “I think that if God forgives us we must forgive ourselves. Otherwise it is almost like setting up ourselves as a higher tribunal than Him.”

Like me, you’re a wretch, an unworthy sinner. Neither of us deserves God’s grace. But He gives it to us anyway—and that should make us dance for joy! So don’t be self-absorbed and self-important, as if this were all about you, and you have to figure it all out and make a way. Christ has figured it all out and made the way for you. It’s not about your righteousness—it’s about the righteousness of Christ on your behalf (2 Corinthians 5:21). He’s the One who has made us His beloved children (Romans 8:16) and called us His friends (John 15:15).

If you’re still struggling, by all means get help from your pastor or a mature Christian friend or counselor. Listen to God, who died for you on the cross, not to the Enemy of God, who is telling you Christ’s work on the cross wasn’t good enough. Read His words of grace and forgiveness out loud, write them down, and memorize them. Choose freedom, not bondage. Don’t despair, but rejoice in the grace of God. The price has been paid—it’s for you to accept Christ’s atonement, not try to repeat it.

Embrace God’s forgiveness. Relax. Rejoice.

“There is therefore now no condemnation for those who are in Christ Jesus" (Romans 8:1).

“Therefore, since we have been justified by faith, we have peace with God through our Lord Jesus Christ. Through him we have also obtained access by faith into this grace in which we stand, and we rejoiced in hope of the glory of God” (Romans 5:1-2).

When things in life feel temporary and uncertain, there’s one thing you can know for sure: Nothing can separate you from God’s wondrous grace. In Beautiful and Scandalous: How God's Grace Changes Everything, Randy offers daily meditations, Scripture readings, and inspirational quotes that will enable you to grasp more fully the grace God lavishes on you.

Photo by Eréndira Tovar on Unsplash

 

Randy Alcorn (@randyalcorn) is the author of fifty-some books and the founder and director of Eternal Perspective Ministries