Enfrentando o Medo com a Fé (Facing Fear with Faith)

O medo nos vem de várias formas. Podemos ter medo de tomar a decisão errada ou de desapontar nossos amigos. Também podemos temer que nossos filhos sejam raptados, que os freios do carro nāo funcionem ou que o avião caia. Podemos sentir medo sobre o futuro do nosso país e pelo curso do mundo ao nosso redor.
 
Nossa resposta imediata a uma situação ameaçadora, tal como um barulho alto ou um grito, geralmente é um medo reflexivo ou involuntário. Este medo inicial é incontrolável. No entanto, aquilo que permitimos que se estabeleça em nossas mentes e emoções depois de nossa resposta inicial é controlável. Se não exercermos o controle sobre isto, se deixarmos que o medo inicial se torne indomável, isso se torna em pavor a longo prazo ou até mesmo em paranóia.  
 
O medo doentio pode ser um sintoma de uma falta de perspectiva eterna. Ed Welch escreveu: “Os medos vêem apenas em parte. Eles vêem que podemos perder algo que nos é caro, tal como nosso dinheiro, nossa saúde ou a saúde de alguém que amamos. Eles vêem o potencial de perda com acuidade microscópica. Mas eles não vêem a presença de Deus, eles não vêem Sua fidelidade às Suas promessas, não se fixam em realidades invisíveis, mas são dominados pelo que é visto apenas a olho nu (2 Coríntios 4.18).”
 
Nos foi dito que “Deus não nos tem dado espírito de covardia, mas de poder, de amor e de moderação” (2 Timóteo 1.7).
 
Se você sofre de fobias específicas, um medo crônico de danos, medo de sua morte ou a de seus entes queridos, ou qualquer outro medo, aqui estão algumas sugestões para lidar com eles.
 
Três Estratégias para Combater o Medo
 
Enfrente seus medos compartilhando. O medo prospera mais quando se esconde nas sombras. Conte a outra pessoa e você verá que os medos são mais comuns do que você pensa. Muitas pessoas sofrem do que poderia ser chamado de “fobia do medo”. Elas temem que os seus medos signifiquem que elas são anormais. 
 
Compartilhar seus medos com alguém da sua confiança e descobrir que outras pessoas lutam com problemas semelhantes pode trazer alívio e ajudar a torná-los mais fáceis de lidar. 
 
Deixe que seus medos morram de fome — não os alimente. Após o medo ser compartilhado, não devemos nos concentrar nele. Falar demais sobre medos tende a alimentá-los ou reforçá-los, tornando mais difícil abalá-los. 
 
Outra área a se verificar é a dos seus hábitos de visualização. O que estamos consumindo através da TV, de filmes, na internet e mídias sociais? Não podemos encher nossa mente com o que é mal e terrível e esperar estar em paz! 
 
Se você tem medo de violência contra você e sua família, é melhor não assistir a filmes violentos e programas de televisão que alimentem seus medos. Aliás, seria melhor não ler o jornal ou assistir ao noticiário na televisão, já que eles falam em sua maioria de crimes violentos e catástrofes. Estudos mostram que espectadores crônicos de televisão vêem o mundo como sendo muito mais perigoso do que realmente é. 
 
Mude seu foco para longe de seu medo e em direção a Deus. Leia as Escrituras, memorize e ore sobre o seu medo. Existem centenas de “não temas” na Bíblia. A declaração mais frequente é: "Não temas, porque eu sou contigo" (Gênesis 26.24). Deus conhece nossas fraquezas e medos, e Ele nos tranquiliza sem demora: 
 
Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes, porque o SENHOR, teu Deus, é contigo por onde quer que andares (Josué 1.9). 
 
Deus disse: “Nunca te deixarei; nunca te abandonarei. Então dizemos com confiança, 
"O Senhor é o meu ajudador, não temerei. O que me podem fazer os homens?" (Hebreus 13.5–6, NVI) 
 
Busquei o Senhor, e ele me respondeu; livrou-me de todos os meus temores. (Salmo 34.4, NVI) 
 
Charles Spurgeon disse: “O temor de Deus é a morte de todos os outros temores; como um poderoso leão, ele expulsa todos os outros medos diante dele." As Escrituras têm muitos mandamentos para temermos a Deus e também muitos mandamentos para não termos medo. Se temermos a Deus, não é necessário temer mais nada ou ninguém, nem mesmo o diabo. Se não temermos a Deus, acabaremos por temer muitas coisas além Dele. Nos foi dito que “ No temor do SENHOR, tem o homem forte amparo” (Provérbios 14.26). 
 
E Se?
 
Mas e se seus medos se concretizarem ou já aconteceram? Ed Welch coloca desta forma: "Nossos piores medos podem vir sobre nós, mas não podemos imaginar a imensa graça que Deus derramará sobre nós para enfrentá-los."
 
Pode ser útil nos lembrarmos que ainda que um de nossos medos se torne realidade, Deus prometeu que Ele o usará para o nosso bem eterno (Romanos 8.28). Tudo o que acontece em nossas vidas — sim, até mesmo o mal e o sofrimento — é filtrado pelo Pai. Há grande consolo em meditarmos sobre nossas verdadeiras e eternas circunstâncias: nosso Salvador veio para nos libertar, garantiu nossa ressurreição e vida eterna, é por nós e não contra nós, e nunca sob nenhuma circunstância permite que algo nos separe de Seu amor. 
 
Nos foi dito que Cristo intercede por nós (Romanos 8.34). Já que as orações de um homem justo são eficazes (Tiago 5.16), o que poderia ser mais eficaz do que as orações de Cristo por nós? Que encorajamento saber que, mesmo que ninguém mais conheça nossas necessidades, preocupações e medos, nem esteja orando por nós, Cristo o faz e está fazendo. Robert Murray M'Cheyne escreveu: “Se eu pudesse ouvir a Cristo orando por mim na sala ao lado, não teria medo de um milhão de inimigos. No entanto, a distância não faz diferença. Ele está orando por mim." 
 
A promessa de Deus de Sua presença é uma fonte de conforto e coragem: “Não temas, porque eu sou contigo; não te assombres, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço, e te ajudo, e te sustento com a minha destra fiel.”(Isaías 41.10). Jesus nos prometeu que não importa o que aconteça, "E eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século" (Mateus 28.20). 
 
Uma Oportunidade Para Depender Mais
 
Em um tempo de sofrimento sombrio e pavor, Davi afirmou: “O SENHOR é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O SENHOR é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?... Ainda que um exército se acampe contra mim, não se atemorizará o meu coração; e, se estourar contra mim a guerra, ainda assim terei confiança... Porque, se meu pai e minha mãe me desampararem, o SENHOR me acolherá... Eu creio que verei a bondade do SENHOR na terra dos viventes. Espera pelo SENHOR, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo SENHOR” (Salmo 27. 1, 3, 10, 13–14).
 
Minha esposa Nanci sofreu com o que ela chama de "um ano de medo e ansiedade descontrolada que me fez me apaixonar por Deus". Nanci conhecia a Deus desde a infância e confiou nEle durante todos os meus processos, prisões e perda de emprego, depois através da morte da mãe e outras perdas (e ameaças de perda). Mas aquele ano inexplicável de sua vida, sem relação com qualquer evento traumático externo, a transformou. Ela o enfrentou contando a Deus, dia e noite, o quanto O amava.
 
Ela continuou seu hábito de louvor e intimidade com Deus que se desenvolveu quando o medo e o pavor diariamente recaíam sobre ela. As emoções esmagadoras daquela época foram embora; a sensação de intimidade com seu Salvador permanece. Até hoje, Nanci se regozija com o amor de Deus por ela e seu amor por Ele de maneiras que ela nunca teria conhecido sem aquele ano que ela poderia descrever como infernal.
 
Sua luta contra o medo pode ser uma oportunidade para uma maior dependência do seu Salvador e uma oportunidade para fixar seus olhos no que não se vê. John Newton escreveu bem: “Se o Senhor estiver conosco, não temos motivo para temer. Seus olhos estão sobre nós, Seu braço ao redor de nós, Seus ouvidos abertos à nossa oração — Sua graça suficiente, Sua promessa imutável."
 
 
De Randy Alcorn Traduzido por Ana Heloysa Araújo

Facing Fear with Faith

Fear comes in many forms. We can fear making the wrong decision or disappointing our friends. We can also fear that our children will be snatched, the car brakes will fail, or the plane will crash. We may experience fear about our country’s future and the direction of the world around us.

Our immediate response to a threatening situation like a loud noise or a scream is usually a reflexive or involuntary fear. This initial fear is uncontrollable. What we allow to settle into our minds and emotions after our initial response, however, is controllable. If we do not exercise control over it, if we leave the initial fear untamed, it turns into long-term dread or even paranoia. 

Unhealthy fear can be a symptom of a lack of eternal perspective. Ed Welch writes, “Fears see only in part. They see that we might lose something dear to us, such as our money, our health or the health of someone we love. They see the potential for loss with microscopic acuity. But they don’t see God’s presence, they don’t see His faithfulness to His promises, they don’t fixate on unseen realities but are dominated by what is merely seen with the naked eye (2 Corinthians 4:18).”

We’re told that “For God gave us a spirit not of fear but of power and love and self-control” (2 Timothy 1:7).

Whether you suffer from specific phobias, a chronic fear of harm or death to yourself or loved ones, or any other fear, here are some suggestions for handling them.

Three Strategies for Fighting Fear

Face your fears by sharing them. Fear thrives most when it lurks in the shadows. Tell someone else and you’ll find that fears are more common than you think. Many people suffer from what could be called “fear phobia.” They’re afraid their fear means they are abnormal.

Sharing your fears with someone you trust, and finding out others struggle with similar issues, may bring you relief and help make them easier to handle.

Starve your fears—don’t feed them. Once a fear is shared, it should not be dwelt on. Talking too much about fears tends to feed or reinforce them, making it more difficult to shake them.

Another area to check is your viewing habits. What are you taking in through television, movies, the internet, and social media? We can’t fill our mind with what is evil and dreadful and expect to be at peace!

If you fear violence to yourself and your family, it’s better that you don’t watch violent movies and television programs that feed your fears. For that matter, you’d do better not to read the newspaper or watch the news on television since they major in violent crimes and catastrophes. Studies show that chronic television watchers see the world as being far more dangerous than it really is.

Shift your focus away from your fear and toward God. Read Scripture, memorize it, and pray about your fear. There are hundreds of “fear nots” in the Bible. The most common statement is, “Fear not, for I am with you” (Genesis 26:24). God knows our frailties and fears, and He is quick to reassure us:

Be strong and courageous. Do not be terrified; do not be discouraged, for the LORD your God will be with you wherever you go (Joshua 1:9, AMP).

God has said, “Never will I leave you; never will I forsake you.” So we say with confidence, 
“The Lord is my helper; I will not be afraid. What can man do to me?” (Hebrews 13:5–6, NIV)

I sought the LORD, and he answered me; he delivered me from all my fears. (Psalm 34:4, NIV)

Charles Spurgeon said, “The fear of God is the death of every other fear; like a mighty lion, it chases all other fears before it.” Scripture is full of commands to fear God and it is also full of commands not to be afraid. If you fear God, you need fear no one and nothing else, even the devil. If you do not fear God, you will ultimately fear many things besides Him. We’re told that “In the fear of the LORD one has strong confidence” (Proverbs 14:26).

What If?

But what if your fears do happen or have already happened? Ed Welch put it this way: “Our worst fears may come upon us, but we cannot imagine the immense grace that God will pour out on us for them.”

It can help to remind yourself that even if one of your fears becomes reality, God has promised He will use it for your eternal good (Romans 8:28). Everything that comes into your life—yes, even evil and suffering—is Father-filtered. There is great comfort in meditating on your true, eternal circumstances: your Savior has come to deliver you, has secured your resurrection and eternal life, is for you and not against you, and never under any circumstances allows anything to separate you from His love.

We’re told that Christ intercedes for us (Romans 8:34). Since the prayers of a righteous man are effective (James 5:16), what could be more effective than Christ’s prayers for you? What an encouragement to know that even if no one else knows your needs, worries, and fears, and is praying for us, Christ does and is. Robert Murray M’Cheyne wrote, “If I could hear Christ praying for me in the next room, I would not fear a million enemies. Yet distance makes no difference. He is praying for me.”

God’s promise of His presence is a source of both comfort and courage: “Fear not, for I am with you; be not dismayed, for I am your God; I will strengthen you, I will help you, I will uphold you with my righteous right hand” (Isaiah 41:10). Jesus has promised us that no matter what, “I am with you always, even to the end of the age” (Matthew 28:20, NLT).

An Opportunity for Greater Dependence

In a time of dark suffering and dread, David affirmed, “The LORD is my light and my salvation—whom shall I fear? The LORD is the stronghold of my life—of whom shall I be afraid?... Though an army besiege me, my heart will not fear; though war break out against me, even then will I be confident.... Though my father and mother forsake me, the LORD will receive me.... I will see the goodness of the LORD in the land of the living. Wait for the LORD; be strong and take heart and wait for the LORD” (Psalm 27:1, 3, 10, 13–14).

My wife Nanci suffered through what she calls her “year of fear and free-floating anxiety that made me fall in love with God.” Nanci knew God from childhood and trusted Him all through my lawsuits, arrests, and job loss, then through her mother’s death and other losses (and threatened ones). But that inexplicable year of her life, unrelated to any outside traumatic event, changed her. She coped by telling God, morning and night, how much she loved Him.

She has continued her habit of praise and intimacy with God that developed when daily fear and dread fell upon her. The crushing emotions of that time have departed; the sense of intimacy with her Savior remains. To this day Nanci rejoices in God’s love for her and her love for Him in ways she never would have known without that year she otherwise could describe as hellish.

Your struggle with fear can be an opportunity for greater dependence on your Savior, and an opportunity to fix your eyes on what is unseen. John Newton penned it well: “If the Lord be with us, we have no cause of fear. His eye is upon us, His arm over us, His ear open to our prayer—His grace sufficient, His promise unchangeable.”

Photo by Kristopher Roller on Unsplash

Randy Alcorn, founder of EPM

Randy Alcorn (@randyalcorn) is the author of over fifty books and the founder and director of Eternal Perspective Ministries