Perseverança (Perseverance)

By Randy Alcorn February 11, 2019

Paulo orou para que os cristãos fossem "fortalecidos com todo o poder, segundo a força da sua [de Deus] glória, em toda a perseverança e longanimidade; com alegria, dando graças ao Pai" (Cl 1.11-12).

Somos chamados a uma vida de perseverança capacitada por Cristo e acompanhada pelo dar graças com alegria. A perseverança exige paciência, porque a recompensa das escolhas certas de hoje virá, mas talvez seja daqui a meses ou anos, ou somente depois que deixarmos este mundo. Aqueles que tamborilam enquanto esperam o microondas terminar seu trabalho demonstram que a perseverança duradoura não surge naturalmente.

Paulo desafiou seu discípulo, dizendo: "Participa dos meus sofrimentos como bom soldado de Cristo Jesus" (2 Tm 2.3). Os soldados esperam dificuldades e são treinados para enfrentá-las. Os humildes guerreiros de Cristo devem viver como companheiros de braços dados a serviço de seu Comandante, no território ocupado do inimigo. Eugene Peterson chamou isso de "uma longa obediência perseverante.[i] 

Hoje, obstáculos e distrações fazem a perseverança na vida cristã parecer inatingível. Nossas tentações não são piores do que as que haviam em Corinto, no século I. Mas a televisão, os computadores e telefones celulares trazem aos nossos lares aquilo que costumava ser achado tão-somente em becos escuros. Em nossa Corinto tecnológica, as tentações são apenas um teclado ou um clique de mouse para irmos adiante.

O fracasso em perseverar — no casamento, no trabalho, na igreja ou em qualquer área da vida — tornou-se normal. Uma obediência permanente e consistente, sem desvios periódicos ao pecado e à falta de frutos, parece um sonho impossível. O pecado se tornou tão comum, tão esperado, que os crentes santos ou são elevados à categoria de heróis, ou são rejeitados como legalistas.

Em nossa sociedade descartável, usamos algo e, em seguida, jogamos fora (quer seja um prato de papel, uma esposa, uma igreja ou uma carreira). A filosofia do prenda-se-a-isso é uma relíquia de outra época — algo que os monges faziam e nós não podemos fazer. E por que deveríamos fazê-lo? Quem deseja trabalhar com afinco ou se tornar entediado por permanecer no mesmo curso, quando infinitas alternativas nos chamam?

No entanto, a essência da vida cristã não pode mudar com a cultura. As palavras de Paulo aos crentes de Colossos e a Timóteo são palavras que se aplicam a nós. Não devemos nos esquivar do sofrimento. Devemos suportá-lo com paciência e ações de graça. Temos de seguir a Cristo desde o começo até ao fim, arrependendo-nos imediatamente de nossos pecados e movendo-nos à profunda devoção. Sim, haverá tempos áridos, mas, no aspecto geral, o gráfico de nosso crescimento espiritual se elevará de modo uniforme, e não haverá desvios que façam nossa vida terminar em uma choradeira inútil.

A perseverança é a chamada de Cristo para que o sigamos e terminemos com firmeza, para a glória de Deus. Não há chamada mais sublime, nenhum privilégio mais elevado, nenhuma alegria maior.

[i] Peterson, Eugene H. A long obedience in the same direction: discipleship in a instant society. 20th anniversary edition. Downers Grove, IL.: InterVarsity Press, 2000.

Tradução: Wellington Ferreira

Revisão: Tiago Santos
Texto extraído do livro: Firmes – Uma chamada à Perseverança dos Santos –1ª Edição, Cap. 4 – São José dos Campos, SP. Editora Fiel, 2010 (prelo).

 

O leitor tem permissão para divulgar e distribuir esse texto, desde que não altere seu formato, conteúdo eou tradução e que informe os créditos tanto de autoria, como de tradução e copyright. Em caso de dúvidas, faça contato com a Editora Fiel.

Receba nossas Notificações 

 

Publicado Originalmente: http://www.ministeriofiel.com.br/artigos/detalhes/431/Perseveranca


A Life of Endurance 

Paul prayed that Christians might be “strengthened with all power according to [God’s] glorious might, so that you may have great endurance and patience with joy, giving thanks to the Father” (Col. 1:11–12).

We’re called to a life of endurance empowered by Christ, and accompanied by joyful thanksgiving. Endurance requires patience, because reward for today’s right choices will come, but it may be months or years from now, or not until we leave this world. Those who drum their fingers waiting for the microwave to finish demonstrate that patient endurance doesn’t come naturally.

Paul challenged his disciple, “Share in suffering as a good soldier of Christ Jesus” (2 Tim. 2:3). Soldiers expect hardship and are trained to face it. As comrades locking arms in the service of our Commander, Christ’s humble warriors are to live out, on enemy-occupied territory, what Eugene Peterson called “a long obedience in the same direction.”

Today’s roadblocks and distractions make endurance in the Christian life seem unattainable. Our temptations aren’t worse than those in first-century Corinth. But televisions, computers, and even cell phones bring into our homes what used to be found only in back alleys. In our technological Corinth, temptations are only a keypad or mouse click away.

Failure to endure—in marriage, jobs, church, or any part of life—has become normal. A consistent long-term obedience, without periodic diversions into sin and unfruitfulness, seems an impossible dream. Sin has become so common, so expected, that holy believers are either elevated as heroes or dismissed as legalists.

In our disposable society, we use something up, then toss it (whether a paper plate, a spouse, a church, or a career). The stick-to-it philosophy is a relic of another age—something monks once did, but we can’t. And why should we? Who wants to work hard or become bored by staying a course when endless alternatives call to us?

But the essence of the Christian life cannot change with culture. Paul’s words to the Colossians and Timothy are words to us. We should not shrink from hardship. We should endure it with patience and thanksgiving. We are to follow Christ from start to finish, repenting quickly of our sins and moving forward in deeper devotion. Yes, there will be dry times, but overall, the arc of spiritual growth will steadily rise higher, not trail off so our lives end in a wasted whimper.

Endurance is Christ’s call to follow him, to finish strong for God’s glory. There is no higher calling, no bigger privilege, no greater joy.

Photo by Walther Luecker on Unsplash 

Randy Alcorn, founder of EPM

Randy Alcorn (@randyalcorn) is the author of fifty-some books and the founder and director of Eternal Perspective Ministries