Diretrizes para a Pureza Sexual (Guidelines for Sexual Purity)

 
 
Desenvolvi o material a seguir e o apresentei a muitos jovens e seus pais ao longo de muitos anos. Quando minhas filhas, agora casadas, eram adolescentes, aperfeiçoei este material para compartilhar e conversar com elas e com os jovens que pediam para namorá-las. Até que tivéssemos falado sobre esses princípios juntos (minha esposa e eu, a nossa filha e o menino) e nos assegurado de que havia completo acordo, não permitíamos que um relacionamento de namoro começasse.
Descobrimos que isto foi uma grande ajuda não só para nossas filhas, mas também para os jovens que queriam namorá-las. Tornamos claras nossas expectativas, demos orientação e princípios específicos (não apenas regras), e lhes dissemos que perguntaríamos se eles estavam cumprindo esses padrões. Isso aprofundou nosso relacionamento, abriu a comunicação e criou uma prestação de contas saudável.
 
Embora houvesse, às vezes, nervos tensos quando membros da família (e especialmente os garotos) aguardavam estas sessões, em cada caso, o tempo juntos era estratégico, encorajador e gratificante. Tendo praticado isto consistentemente quando elas namoravam, era impossível para nós e para as nossas filhas imaginá-las namorando um jovem sem antes abordar abertamente com ele todos os princípios que se seguem. (Cada vez que fazíamos isso, é claro, a sessão reforçava ainda mais estes princípios para nossas filhas e para nós.)
"A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus." (1 Tessalonicenses 4.3-5).
 
Primeira parte: O Que É Necessário Saber
 
1. O sexo é bom. Deus o criou, Deus o chamou de "bom", e ele existia antes de haver pecado algum no mundo.
O sexo não foi criado por Satanás, pela Playboy, por Hollywood, pela HBO, pelos músicos de rock, pela Internet, ou por algum pervertido espreitando nas sombras de uma loja de pornografia. O sexo foi criado pelo Santo Deus dos céus, onde reina a pureza.
Deus fez o sexo fisicamente desejável ao criar-nos com impulsos sexuais, sem os quais o sexo não existiria e nem as pessoas. A Palavra de Deus fala abertamente sobre o prazer do sexo dentro da relação matrimonial (Provérbios 5.18,19; Cantares 4.5; 7.1,6-9).
Não devemos ter vergonha de falar sobre o que Deus não teve vergonha de criar. No entanto, Deus exige que abordemos o assunto de acordo com suas intenções e requisitos, e não os do mundo. Ele nos adverte a não falar de sexo em nenhum contexto impróprio:
Entre vocês não deve haver nem sequer menção de imoralidade sexual como também de nenhuma espécie de impureza e de cobiça; pois essas coisas não são próprias para os santos. Não haja obscenidade, nem conversas tolas, nem gracejos imorais, que são inconvenientes. (Efésios 5.3-4)
Deus projetou o sexo para a união sagrada do casamento e reserva-o para essa união. É tanto o meio pelo qual crianças são concebidas (algo muito próximo ao coração de Deus) quanto um meio pelo qual a intimidade conjugal é expressa e cultivada. Quando ocorre em seu contexto adequado, Deus é definitivamente a favor do sexo.
 
2. Como todos as boas dádivas de Deus, o sexo pode ser mal utilizado e pervertido.
A água é uma dádiva de Deus, sem a qual não poderíamos sobreviver. Mas inundações e maremotos são a água fora de controle, e os efeitos são devastadores. O fogo é uma dádiva de Deus que produz energia, que dá calor e que nos permite cozinhar. Mas um incêndio florestal ou uma casa em chamas ou uma pessoa em chamas é o fogo fora de controle - é horrível e assustador. A água e o fogo são coisas boas que, quando ocorrem fora dos limites criados por Deus, tornam-se ruins.
 
Da mesma forma, Deus criou o sexo para que existisse dentro de certos limites. Quando praticado de acordo com o propósito de Deus, é bonito e construtivo. Quando fora de controle, violando o propósito de Deus, ele se torna feio e destrutivo. O sexo é uma coisa boa que, quando ocorre fora dos limites designados por Deus, torna-se ruim.
O problema não é o sexo - o problema somos nós. Somos pecadores que podem perverter, abusar e arrancar de seu devido lugar as coisas boas que Deus criou. Quanto maior a dádiva de Deus, mais poder ela tem tanto para o bem quanto para o mal. Dentro do casamento, o sexo tem enorme poder para o bem. Fora do casamento, ele tem poder igualmente grande para o mal.
 
3. Os limites do sexo são os mesmos limites do casamento.
O sexo e o casamento se encaixam. A união sexual foi criada pra ser a expressão de um compromisso por toda a vida, um símbolo da união espiritual que existe apenas dentro do compromisso incondicional do casamento. Fora do casamento, o compromisso duradouro está ausente e o ato sexual torna-se uma falsa expressão, uma mentira.
 
Todo ato de sexo fora do casamento degrada tanto o sexo quanto o casamento. O sexo é um privilégio inseparável das responsabilidades da sagrada aliança do casamento. Exercitar o privilégio independentemente da responsabilidade perverte a intenção de Deus para o sexo.
 
O sexo é projetado para ser a união de duas pessoas, de dois espíritos, e não apenas dois corpos. O sexo deve ser uma entrega a alguém com quem estou 100% comprometido (o que pode ser medido pela condição do casamento legal), e não a tomada de alguém com quem não sou comprometido ou sou parcialmente comprometido.
Dizer "Mas nós realmente nos amamos" não tem influência sobre a ética de intimidade sexual — o sexo não se torna permissível por meio de sentimentos subjetivos, mas através do compromisso objetivo e vitalício que é o casamento.
 
4. Sua pureza sexual é essencial para sua caminhada com Deus.
A pureza sexual não é uma opção para um cristão obediente, é um requisito. A vontade de Deus é centrada em nosso caráter e pureza moral muito mais do que em nossas circunstâncias, como trabalho, habitação e educação. Você quer saber a vontade de Deus? Você não precisa imaginar. Aqui está: "A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual" (1 Tessalonicenses 4.3). Não há sentido em buscar a vontade de Deus em outras áreas quando se escolhe viver em impureza sexual na mente ou no corpo.
     "Quem poderá subir o monte do Senhor? Quem poderá entrar no seu Santo Lugar?
     Aquele que tem as mãos limpas e o coração puro." (Salmo 24.3-4)
     "Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria." (Salmo 66.18)
     "Se alguém se recusa a ouvir a lei, até suas orações serão detestáveis." (Provérbios 28.9)
     "'Quando eu os chamei, não me deram ouvidos; por isso, quando eles me chamarem, também não os ouvirei', diz o Senhor dos Exércitos." (Zacarías 7.13)
A pureza sexual é inseparável de uma vida cristã comprometida. Se você não está vivendo em pureza sexual, Deus não ouvirá suas outras orações até que você ofereça a oração de confissão e arrependimento e se comprometa com uma vida de santidade (1 João 1.9).
 
5. Você é vulnerável à imoralidade sexual.
Não se engane achando que isso nunca pode acontecer com você — pode sim. E se você não acha que pode, quase certamente irá acontecer.
     "O orgulho vem antes da destruição; o espírito altivo, antes da queda." (Provérbios 16.18)
     "Assim, aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia!" (1 Coríntios 10.12).
     "Irmãos, se alguém for surpreendido em algum pecado... cuide-se, porém, cada um para que também não seja tentado." (Gálatas 6.1)
Se você acha que nunca será roubado, você deixará de tomar precauções para evitar que isso aconteça. Se você acha que nunca cairá sexualmente, você deixará de tomar precauções para evitar que isso aconteça.
 
6. Você é alvo de tentação por imoralidade sexual.
Há alguns anos havia rumores de uma "lista negra" internacional, um plano para assassinos de aluguel assassinarem líderes mundiais estratégicos. O Inimigo, Satanás, ao longo dos tempos tem mantido uma "lista negra" moral . Visto que os filhos de Deus estão próximos do coração de Deus, os cristãos estão no topo desta lista.
 
Quanto mais envolvido você está em servir a Cristo, mais interesse Satanás tem em destrui-lo e a destruir a obra de Deus dentro de si e através de si. O maligno quer derrubá-lo e usar sua vida como um mal exemplo para outros cristãos, que imitarão sua transigência moral. Deus exige que sejamos instrumentos santificados e puros para sermos usados ​​por ele (2 Timóteo 2.20-21). Mais cristãos - incluindo líderes cristãos — tornam-se inúteis e são perdidos para servir a Cristo devido à imoralidade sexual do que qualquer outra coisa. (Veja o meu folheto "Sexual Temptation: Establishing Guardrails and Winning the Battle"[Tentação Sexual: Estabelecendo Proteções e Vencendo a Batalha...])
 
Esta é a realidade — as forças do mal fizeram um contrato por você. Há um preço por sua cabeça. Satanás declarou guerra a você: "A nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais" (Efésios 6.12). Esses seres malignos têm interesse especial em seu colapso moral. Farão tudo o que estiver ao seu alcance para atacar a Cristo e sua igreja, atraindo-o para a imoralidade.
 
Satanás não é nem onipresente nem onipotente — existe apenas um certo número de demônios e nenhum deles pode estar em dois lugares ao mesmo tempo. Portanto, anjos caídos atacam e tentam, não indiscriminadamente, mas com propósito estratégico. Satanás não precisa desperdiçar seu tempo naqueles que já fizeram o maior estrago em suas vidas. Em vez disso, ele aborda especialmente aqueles cuja queda teria o maior efeito negativo no reino de Deus. É por isso que a Palavra de Deus adverte os cristãos:
 
"Estejam alertas e vigiem. O Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar" (1 Pedro 5.8).
 
O diabo quer desvia-lo do serviço a Deus. Ele o quer aprisionado ao pecado. Deus o quer livre. Somente exercendo o autocontrole e estando alertas, podemos ter a esperança de resistir ao plano do inimigo para nos levar ao pecado. Satanás "nos patrulha" e conhece muito bem as fendas na armadura de cada cristão. Sua mira é fatal, ele é notável por suas tentações feitas sob medida, e é em nossos pontos de maior vulnerabilidade que ele irá atacar.
 
Não se esqueça de que "aquele [Cristo] que está em vocês é maior do que aquele que está no mundo" (1 João 4.4). Por mais poderoso que seja o maligno para nos tentar, Deus é infinitamente mais poderoso para nos livrar e nos deu em Cristo todos os recursos que necessitamos para viver vidas santificadas:
 
Seu divino poder nos deu tudo de que necessitamos para a vida e para a piedade, por meio do pleno conhecimento daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude. Dessa maneira, ele nos deu as suas grandiosas e preciosas promessas, para que por elas vocês se tornassem participantes da natureza divina e fugissem da corrupção que há no mundo, causada pela cobiça. (2 Pedro 1.3-4)
 
7. Seu corpo pertence a Deus, não a você.
"[V]ocês não são de si mesmos[;] Vocês foram comprados por alto preço. Portanto, glorifiquem a Deus com o seu próprio corpo" (I Coríntios 6.20).
 
Com a minha casa própria, tenho o direito de fazer o que eu quiser. Se a casa é de outra pessoa, não. Às vezes, quando estou fazendo uma palestra, peço um lápis emprestado de alguém na audiência. Então eu o quebro ao meio, jogo no chão e piso em cima. Há sempre um silêncio com olhos arregalados e expressões de choque e desconforto na audiência. Pergunto por que eles estão incomodados com o que fiz, porque acham que fiz algo errado. Alguém sempre diz "porque o lápis não era seu". Então explico que o lápis na verdade era meu, que eu o dei à pessoa anteriormente e pedi para que me desse quando pedisse para ela. De repente isso muda tudo, porque se pertence a mim, então (e só então) eu tenho o direito de fazer com ele o que eu quiser. Se pertence a outra pessoa, eu não tenho este direito.
 
Quando você conheceu a Cristo, quando você o afirmou como o Senhor da sua vida, você entregou todo o seu ser, incluindo seu corpo, a Deus. A escritura de propriedade de sua vida foi transferida do seu nome para o de Deus. Cristo é dono de você e de seu corpo. Você foi comprado e pago. "Seu corpo" é na verdade o corpo dele. Ele pagou o preço definitivo por ele. Por qual preço? O sangue derramado do Deus Todo-Poderoso! Pertencemos a Deus tanto em virtude de Sua criação quanto de Sua redenção. Deus tem todo o direito de me dizer o que fazer com minha mente e corpo. Não tenho o direito de fazer o que quiser com o que pertence a Deus.
 
8. A pureza sexual começa na mente, não no corpo.
"Porque, como imagina [um homem] em sua alma, assim ele é" (Provérbios 23.7).
"Pois do coração saem os maus pensamentos, os homicídios, os adultérios, as imoralidades sexuais..." (Mateus 15.19-20).
"Mas eu lhes digo: Qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração" (Mateus 5:28).
Você inevitavelmente adotará a moralidade dos programas, filmes, livros, revistas, músicas, sites da Internet e conversas nas quais você participar. PDPF — Podridão pra dentro, podridão pra fora; Piedade pra dentro, piedade pra fora. O cognitivo é básico para o comportamental — você se torna aquilo que você escolhe para alimentar sua mente.
     Semeie um pensamento, colha uma ação;
     Semeie uma ação, colha um hábito.
     Semeie um hábito, colha um caráter.
     Semeie um caráter, colha um destino.
Seu futuro pode ser previsto de maneira precisa através daquilo no que você permite que sua mente se concentre. As ações pecaminosas não vêm do nada — elas são o produto cumulativo de pequenas transigências morais feitas ao longo do tempo, que acabam por culminar em comportamento pecaminoso.
Não há nada de novo sobre a tentação sexual - o que há de novo é como ela invadiu nossas casas. Em Corinto do primeiro século, haviam prostitutas por todas as ruas, mas quando alguém entrava em casa, tinha um santuário contra a tentação. Nós vivemos em uma Corinto tecnológica, onde a imoralidade pode entrar na privacidade de nossa casa através de ondas (televisão) e modems (a Internet). A maioria de nós está apenas a alguns botões da imoralidade sexual da mente. Toda escolha que fazemos de ver e contemplar a imoralidade nos dessensibiliza ao seu mal.
 
Ações, hábitos, caráter e destino todos começam com um pensamento, e os pensamentos são alimentados pelo que escolhemos absorver em nossas mentes. Portanto, devemos ter extremo cuidado com aquilo que alimentamos nossas mentes.
 
"Acima de tudo, guarde o seu coração [mente, ser interior], pois dele depende toda a sua vida" (Provérbios 4.23).
 
Se alguém quiser poluir a água, ele a polui na sua fonte. Se quiser purificar a água, ele a purifica na sua fonte. Nossos pensamentos são a fonte de nossas vidas. Toda a nossa vida flui de nossa mente e, através das escolhas que fazemos todos os dias, nós programamos nossas mentes, seja para piedade ou para a pecaminosidade.
 
"Desvia os meus olhos das coisas inúteis; faze-me viver nos caminhos que traçaste" (Salmos 119.37).
 
Nossas mentes não são um vácuo — elas serão preenchidas com alguma coisa. É necessário desviar nossas mentes das coisas sem valor, mas isto não é o suficiente. Nós também devemos encher nossas mentes com bons pensamentos que afastem e combatam os pensamentos ruins. Não basta dizer "não pense em nada ruim". (Se eu disser, "não pense em aranhas", no que você pensa?) Devemos também escolher pensar sobre o que é bom. (Se eu disser "pensar sobre sua sobremesa favorita," rapidamente você para de pensar em aranhas.) Tempo gasto na Palavra, em oração e em conversas com amigos centrados em Cristo reforça nosso compromisso com a pureza.
 
"Tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro,... pensem nessas coisas" (Filipenses 4.8).
 
Não podemos evitar todas as tentações, mas podemos evitar muitas delas, e certamente podemos resistir às suas tentativas de nos controlar. Martinho Lutero disse: "Você não pode evitar que os pássaros voem sobre sua cabeça, mas você pode evitar que eles façam um ninho no seu cabelo."
Tenha cuidado com aquilo a que você expõe sua mente. Se você estiver fazendo dieta, não vá a uma sorveteria. Se fizer isso, sua resistência será quebrada. Se você quiser se abster da luxúria, não vá a lugares ou assista filmes e programas ou leia coisas que estimulem a luxúria.
Seu corpo irá aonde sua mente permite que ele vá. Quando se trata de sua pureza sexual, a maior batalha está em sua mente. Não alimente sua mente com porcarias. Certifique-se de que você está recebendo nutrição espiritual.
 
9. Visto que Deus não quer que você faça sexo pré-conjugal, ele também não quer que você faça aquilo que prepara seu corpo para o sexo pré-conjugal.
"Até onde posso ir?" Esta é uma pergunta comum, mas não é a melhor pergunta, porque geralmente ela significa "quão perto posso chegar de desobedecer a Deus sem realmente fazê-lo?" Se um pai diz a seu filho: "Não vá pro meio da estrada", uma criança obediente não vai balançar a perna sobre a estrada, ela ficará longe dela. Ao colocar-se perto da estrada, ele se submete à uma tentação desnecessária de agir segundo seus impulsos, desobedecer e se colocar em grave perigo.
 
Deus criou o corpo e a mente com impulsos sexuais, e, à medida que estes impulsos são estimulados eles se movem em direção a um clímax — este é um simples fato da vida sobre o qual ninguém deveria ser ingênuo. Acariciar um ao outro de formas sexualmente estimulantes é o jogo preliminar, e as preliminares são projetadas por Deus para culminar na relação sexual. Uma vez que a relação sexual é proibida fora do casamento, também o são os atos preliminares que levam ao ato sexual. Uma vez que é errado manter relações sexuais antes do casamento, também é errado engajar em atividades que impulsionam a mente e o corpo para a relação sexual.
 
"Foge, outrossim, das paixões da mocidade. Segue a justiça, a fé, o amor e a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor." (2 Timóteo 2.22)
 
Há um contínuo de contato físico que começa com coisas como sentar perto e segurar a mão no começo e vai até relações sexuais no final. No meio, pode haver um braço em volta do ombro, um breve abraço, um beijo na bochecha, um beijo na boca, um abraço mais longo, beijos prolongados, carícias, etc. As escrituras não explicam exatamente qual comportamento "intermediário" é permitido, Mas uma coisa é certa — o limite deve ser traçado antes de que qualquer um seja estimulado sexualmente. Isso significa que carícias — e qualquer outra coisa que resulte em uma "excitação" — são proibidas.
 
Se um de vocês começar a ficar excitado mesmo por um contato físico aparentemente inocente, então ambos devem recuar imediatamente. Se você não recuar, você está escolhendo permanecer em uma canoa indo em direção a uma cachoeira. Isso não é apenas errado, é estúpido. (Aqueles que permitem que suas mentes permaneçam no que é imoral e que se envolvem em estimulação sexual juntos não devem se surpreender quando mantêm relações sexuais. É simplesmente o resultado natural das escolhas que fizeram. Se você quer um resultado diferente, deve fazer escolhas diferentes.)
 
Rapazes são mais rapidamente e mais facilmente excitados do que moças. Uma garota costuma achar que longos beijos e abraços não tem problema, ingênuas ao fato de que o rapaz está sexualmente excitado e está tentado a pressionar por mais. Mais uma vez, certifique-se de que você coloque a linha distante o suficiente para que nenhum dos dois a ultrapasse.
 
10. Uma vez que você deixa seu corpo ultrapassar a linha, ele não saberá nem se importará com suas convicções cristãs.
Alguns cristãos oram para que Deus proteja sua pureza, e depois voluntariamente se expõem à tentação e se perguntam por que Deus não respondeu a suas orações. É como colocar um livro na beirada de uma mesa e orar "Deus, por favor, não deixe este livro cair", enquanto você continua empurrando-o para mais perto da beirada. Não importa o quão fervorosamente você ore para que o livro não caia, ele cairá se você continuar escolhendo empurrá-lo. Não importa o quão fervorosamente você ore para que não caia na imoralidade, você cairá se continuar fazendo escolhas que alimentem sua tentação para a imoralidade. Não permita que suas escolhas minem e invalidem suas orações.
 
11. Se você tem intimidade sexual com alguém fora do casamento, você está roubando de Deus e da outra pessoa.
Como ele ou ela pertence a Deus, não a você, isso significa que você está tomando essa pessoa emprestada por algumas horas. Tenha cuidado com o que você faz com o que não lhe pertence. Você será responsabilizado por seu Dono.
 
12. Deus tem seus melhores interesses em mente quando ele te diz para não fazer sexo antes do casamento.
O que é certo é sempre inteligente e sempre para o seu bem. O sexo não é apenas algo que você faz - o sexo é alguém que você é. Ele está ligado ao bem-estar de todo o seu ser.
Manter relações sexuais fora do casamento é autodestrutivo em todos os sentidos. A pureza sexual é sempre para o melhor - não somente para Deus e para os outros, mas também para você.
 
13. Deus não lhe diria para se abster de impurezas sexuais se fosse impossível obedecê-lo.
Deus não é cruel. Ele não exige que você se abstenha de necessidades, tal como comer ou beber ou respirar. O sexo é algo do qual todos podem se abster — é um desejo forte, sim, mas nunca uma emergência, nunca uma necessidade. Cristo nos deu os recursos para resistir a qualquer tentação:
 
"A graça de Deus nos ensina a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente" (Tito 2.12). 
 
"Seu divino poder nos deu tudo de que necessitamos para a vida e para a piedade, por meio do pleno conhecimento daquele que nos chamou para a sua própria glória e virtude. Dessa maneira, ele nos deu as suas grandiosas e preciosas promessas, para que por elas vocês se tornassem participantes da natureza divina e fugissem da corrupção que há no mundo, causada pela cobiça" (2 Pedro 1.3-4).
 
Não é necessário que você assista àquele filme. Você pode desligá-lo, sair, ir pra outro cômodo. Não é necessário clicar naquele link de um site impuro. Não é necessário acariciar a pessoa que você está namorando. Você pode e deve recorrer aos seus recursos em Cristo, e dizer "não" à tentações para pecar.
 
14. Satanás irá mentir pra você sobre o sexo, mas Jesus te diz a verdade.
Jesus disse sobre Satanás: "Ele foi homicida desde o princípio e não se apegou à verdade, pois não há verdade nele. Quando mente, fala a sua própria língua, pois é mentiroso e pai da mentira." (João 8.43-44).
 
Satanás é um especialista em dizer mentiras, e ele as diz de forma polida e convincente. Ele já convenceu muitos jovens, "não tem problema tocá-la ali, não tem problema deixá-lo te tocar, é natural, não vai machucar nada". Logo entram luxúria, pecado, devastação, desilusão, perda de respeito, conflito, insegurança e, as vezes, gravidezes indesejadas e doenças sexualmente transmissíveis. Muitos jovens acabam se tornando irritados e amargos consigo mesmos e com outros porque acreditaram na mentira, o relacionamento foi arruinado e agora eles estão pagando o preço.
 
Satanás é um mentiroso, mas Jesus é a verdade e quem diz a verdade (João 14.6). Ele disse: "Se vocês permanecerem firmes na minha palavra, verdadeiramente serão meus discípulos. E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará" (João 8.32). Aqueles que acreditam nas mentiras de Satanás sobre o sexo acabam em cativeiro. Aqueles que acreditam na verdade de Cristo sobre o sexo se tornam livres.
Identifique e medite nas verdades que Cristo lhe diz. Identifique e rejeite as mentiras que Satanás lhe diz.
 
15. Você deve aprender a pensar a longo prazo, e não a curto prazo.
Bom ou ruim, você sempre colherá o que você semeia — você sempre colherá as consequências de suas escolhas.
 
"Não vos enganeis: de Deus não se zomba; pois aquilo que o homem semear, isso também ceifará. Porque o que semeia para a sua própria carne da carne colherá corrupção; mas o que semeia para o Espírito do Espírito colherá vida eterna. E não nos cansemos de fazer o bem, porque a seu tempo ceifaremos, se não desfalecermos." (Gálatas 6.7-9)
 
Não importa o quão inteligente você acha que é. Não importa se você tem um doutorado em física, se você pular do décimo andar de um prédio, você vai despencar para sua morte. A gravidade é lei - não há como evitá-la. Da mesma forma, Deus estabeleceu leis espirituais que governam o universo, incluindo leis referentes ao nosso comportamento sexual. Se violamos seus mandamentos, no fim das contas ficamos danificados
 
As Escrituras ensinam duas alternativas básicas na vida, o caminho de Deus e o caminho dos homens, o caminho da santidade e o caminho do pecado. Provérbios fala do caminho da sabedoria e do caminho da tolice, e nos convida a fazer escolhas corretas, que são também sábias, e evitar escolhas erradas, que também são tolas. Após apresentar as bênçãos da obediência e as maldições da desobediência, Deus disse:
 
"Hoje invoco os céus e a terra como testemunhas contra vocês, de que coloquei diante de vocês a vida e a morte, a bênção e a maldição. Agora escolham a vida, para que vocês e os seus filhos vivam" (Deuteronômio 30.19).
 
As conseqüências das impurezas sexuais ao longo da vida são piores do que podemos imaginar. As recompensas da pureza sexual ao longo da vida são maiores do que podemos imaginar.
 
Segunda Parte: O Que Você Precisa Fazer (Diretrizes Para Proteger A Pureza No Namoro)
 
1. Entenda que você não precisa namorar.
Muitas tentações sexuais hoje são criadas pela nossa prática social de juntar e isolar os jovens em vez de fazer o que a cultura hebraica e muitos outros fizeram—exigir que pessoas solteiras passassem tempo juntos apenas em um contexto supervisionado pelos pais e outros adultos.
 
Esta estrutura de envolvimento direto dos pais e acompanhamento cuidadosamente supervisionado tem sido a estrutura social normal; É a nossa, que é anormal. Em nossa cultura, a combinação sem precedentes de tempo de lazer, dinheiro, transporte e permissão para estar sozinho por longas horas tarde da noite—e o grande intervalo entre a idade média da puberdade e a do casamento— se provaram tentações esmagadoras para muitos, incluindo os cristāos. (Isto é especialmente verdadeiro numa cultura que distorce o sexo adolescente, fazendo com que pareça romântico e saudável, quando na verdade geralmente é insatisfatório, muitas vezes emocionalmente devastador e sempre moralmente errado.)
 
Muitas pessoas pensam que para ser normal é necessário namorar. Mas só porque muitas outras pessoas namoram não significa que você precise fazê-lo. É uma opção, não uma necessidade. Com a vantagem vem também a desvantagem de riscos e tentações definidas. É possível desfrutar de amizades divertidas e positivas com pessoas do sexo oposto e estar envolvido em todo tipo de atividades sem estar namorando alguém Se você está interessado no caso de cortejar, ao invés de namorar, veja o best-seller I Kissed Dating Goodbye, A New Attitude Toward Romance and Relationships [Deixei de Namorar, Uma Nova Atitude Perante o Romance e Relacionamentos] de Joshua Harris (Multnomah, 1997).
 
Se você optar por namorar, as seguintes diretrizes podem ajudá-lo a manter uma caminhada com Deus e proteger sua pureza.
 
2. Se você é cristão, namore apenas outro cristão.
O namoro é o caminho para o casamento. Você não se casará com todas as pessoas que namora. Mas a pessoa com quem você se casa será alguém com quem você namorou. Portanto, cada namorado é um companheiro potencial. Não há tal coisa como "apenas namorando"—você não "apenas" salta de bungee jump de um helicóptero, ou "apenas" luta na linha de frente de uma batalha e você não "apenas" namora. É importante demais dizer "apenas". O que está em jogo é muito mais.
 
Deus diz: "Não se ponham em jugo desigual com descrentes. . . que comunhão pode ter a luz com as trevas? " (2 Coríntios 6.14) Não entre em qualquer relacionamento que possa comprometer suas convicções. Quanto mais próximo o relacionamento, maior o perigo.
 
Há muitos contextos nos quais se faz evangelismo—o namoro não é um deles. Deus não chama ninguém para o namoro missionário. Há coisas demasiadas em risco. Pelo mesmo motivo que você não se casaria com um não-cristão, não deveria namorar um. Se você não come cogumelos venenosos, não os coloque no prato. Se isso parece uma comparação injusta com o namorar com um incrédulo, releia 2 Corinthians 6.14.
 
Se você não se casaria com uma pessoa porque ela não conhece a Cristo, isto é razão suficiente para não namorá-la. Mais homens e mulheres jovens são desviados de sua caminhada com Cristo namorando não-crentes do que qualquer outra coisa. Quanto mais você permitir que um relacionamento continue com um não-crente, mais nublado seu julgamento se tornará e mais provável será que você cometa imoralidade e vire as costas para o Senhor de outras maneiras. As convicções vacilam quando nos colocamos no domínio da tentação. Há apenas uma maneira de ter certeza de que você não se casará com um incrédulo: nunca namore com um incrédulo.
 
3. Se você é um discípulo comprometido, namore apenas discípulos comprometidos. (E se você não é um discípulo comprometido, por que não é?)
É necessário namorar apenas os cristãos, mas isto não é suficiente. Muitos cristãos não possuem fibra moral, convicções, maturidade e disciplina. Só porque uma pessoa é cristã não faz dele ou dela moralmente seguros ou um parceiro digno. Falando a verdade—alguns cristãos ainda são imbecis, e um imbecil cristão segue sendo um imbecil.
 
Não tenha uma expectativa de perfeição na pessoa que você namora. Mas tenha a expectativa de caráter e piedade. Não namore uma pessoa com problemas espirituais ou deficiências de caráter que faria com que você não se casasse com ela.
 
Isso pressupõe que você mesmo é um cristão em crescimento, que está desenvolvendo um caráter forte e fortes convicções. Se você não é um(a) discípulo(a) comprometido e em crescimento, então um discípulo(a) comprometido(a) e em crescimento não deveria namorá-lo(a). Não pense apenas que pode estar fora da vontade de Deus se namorar a pessoa errada— pense também se alguém ficaria fora da vontade de Deus namorando você. A primeira chave é ser a pessoa certa, a segunda chave é namorar a pessoa certa.
 
4. Escolha o(a) parceiro(a) por seu caráter, não apenas pela aparência.
"O Senhor não vê como o homem: o homem vê a aparência, mas o Senhor vê o coração" (1 Samuel 1.7).
 
As aparências mudam ao longo do tempo. Você perceberá isto em suas reuniões de dez anos e vinte anos de formatura! Mas mesmo a curto prazo, uma pessoa que parece ótima à primeira vista mas que não possui caráter e profundidade torna-se menos atraente rápido. Uma pessoa com um caráter forte rapidamente se torna mais atraente. Quando julgamos as pessoas por suas aparências, muitas vezes acabamos por estar completamente errados—enquanto isso, podemos ter feito escolhas tolas.
 
5. Esteja consciente de que Cristo está assistindo e que está com você a noite toda—onde quer que vá e o que quer que você faça.
Ele está te observando porque é onisciente. Ele está com você porque ele é onipresente, mas como crente ele está com você de uma maneira muito especial—ele habita em você, você é o seu templo sagrado. Você é o santo dos santos, a morada do Todo-Poderoso: "Vocês não sabem que os seus corpos são membros de Cristo? Tomarei eu os membros de Cristo e os unirei a uma prostituta? De maneira nenhuma!" (1 Coríntios 6.15). Como o Espírito Santo de Deus está dentro de nós, quando fazemos o mal com os nossos corpos, nós trazemos Deus para a maldade conosco. Isto deve ser uma blasfêmia impensável para qualquer cristão.
 
6. Perceba que onde você vai e com quem você vai influenciará seus desejos sexuais.
É nossa natureza ser influenciado por nossos arredores. Quando nos colocamos em uma atmosfera piedosa com pessoas piedosas, somos influenciados pela piedade. Quando nos colocamos em uma atmosfera impiedosa com pessoas ímpias, somos influenciados para a impiedade.
"Não se deixem enganar: 'As más companhias corrompem os bons costumes'" (I Coríntios 15.33)
"Aquele que anda com os sábios será cada vez mais sábio, mas o companheiro dos tolos acabará mal" (Provérbios 13.20).
 
"Mantenha-se longe do tolo, pois você não achará conhecimento no que ele falar" (Provérbios 14.7).
 
"...traidores, precipitados, soberbos, mais amantes dos prazeres do que amigos de Deus... Afaste-se desses também. (2 Timóteo 3.4-5)
 
7. Perceba que seu par é seu irmão ou irmã em Cristo—e não seu "amante".
"[Trate] as mulheres idosas, como a mães; e as moças, como a irmãs, com toda a pureza" (1 Timóteo 5.2). Não comece um namoro com objetivo de romance, mas com o objetivo de passar o tempo com seu irmão ou irmã. Quando você começa um relacionamento, uma regra geral é, não faça nada fisicamente que você não faria com seu irmão ou irmã.
 
Se um relacionamento centrado em Cristo e positivo se desenvolve, então você pode seguir para exibições cautelosas de carinho, como dar as mãos. Mas fique atento à diferença entre carinho apropriado e a intimidade. Você deve ficar seguramente aquém da linha onde qualquer um seja propelido para a intimidade sexual. É muito difícil voltar atrás uma vez que você atravessou uma linha—então não cruze-a para começar.
 
Essa pessoa pode acabar sendo uma amiga ao longo da vida, ou se casar com seu melhor amigo. Não faça nada com ele ou ela que faria com que você fique envergonhado ou constrangido se acabar sendo padrinho ou madrinha no casamento deles.
 
8. Concentre-se em falar, não em tocar; conversa, não contato.
Namorar é um momento para explorar mentes e almas, não corpos. Trate seu par como uma pessoa a ser ouvida e entender e apreciar, não um objeto para experimentar, conquistar ou satisfazer seus desejos.
 
9. Evite relacionamentos acelerados e intimidade instantânea.
Regule o ritmo do seu relacionamento. Leve passo a passo, não entre em queda livre. Um carro que se move muito rápido provavelmente se desviará do controle quando atingir um ponto escorregadio. Mantenha o pé perto do freio. Não deixe este relacionamento sair do controle.
 
10. Planeje toda a noite com antecedência, sem grandes lacunas.
As lacunas sempre são preenchidas, muitas vezes com tentações de impurezas sexuais. Saiba o que você estará fazendo e se mantenha no plano ou vá a algum lugar seguro, onde você estará à vista dos outros (particularmente outros que respeitam a necessidade da pureza). É possível ter uma conversa privada mesmo em uma sala cheia de pessoas. Mas a presença deles encorajará você a se concentrar na conversa e não na tentação da impureza.
 
11. Evite armadilhas como a praga.
As armadilhas incluem coisas como estar sozinhos em um sofá ou em um carro tarde da noite ou em um quarto. (Fiquem fora dos quartos de dormir uns dos outros!) Aprenda a não confiar demais em si mesmo. O filho adolescente do psicólogo Henry Brandt lhe perguntou: "Papai, você não confia em mim?" Brandt respondeu: "Sozinho, tarde da noite, em um carro, com uma garota? Eu não confio nem em mim mesmo—por que deveria confiar em você? "
 
Determine a ficar longe de armadilhas ao invés de se colocar nelas e ter que recorrer às suas convicções quando a sua resistência está no seu nível mais baixo, e é mais provável que ceda. No momento de força, tome decisões que evitarāo a tentação no momento de fraqueza. Quando você está em uma dieta, não entre na confeitaria. Na verdade, nem passe na rua da confeitaria.
 
12. Seja responsável a alguém sobre sua relação física.
Este deve ser um irmão ou uma irmã em Cristo comprometido, geralmente do mesmo sexo que você. Deve ser alguém que leve a sério a pureza sexual, alguém com sábio conselho, que irá orar por você e ajudará a responsabilizá-lo a padrões elevados.
 
Os pais devem conversar abertamente com seus filhos que estāo namorando. Eles devem explicar essas diretrizes para a pureza e dizer aos filhos: "Porque nós o amamos e é nosso trabalho protegê-lo, de vez em quando vamos te perguntar como você está lidando para manter a pureza em seu relacionamento". Não é só o direito dos pais fazer tal pergunta, mas sua responsabilidade.
 
Todos nós necessitamos de alguém para ser sincero conosco. É uma grande ajuda, apenas para que alguém lhe pergunte: "Como foi ontem à noite? Você honrou ao Senhor? Manteve sua pureza? " Quando sabemos que alguém vai perguntar, é um grande motivador para escolher com sabedoria.
 
13. Orem juntos no início e ao final de cada encontro.
Entregue a noite ou o dia de antemāo ao Senhor. Peça-lhe que fique satisfeito com tudo o que você faz. Planeje orar ao final do encontro para agradecê-lo pela noite. Se você sabe que esta oração está chegando, isso te ajudará a controlar a si mesmo e agradar a Deus.
 
14. Imagine que seus pais e líderes da igreja o estão observando pela janela.
Isso mudaria como você se comporta? Então perceba que sua vida não é privada, é um livro aberto para ser visto por um mundo de observadores:
 
"O que vocês disseram nas trevas será ouvido à luz do dia, e o que vocês sussurraram aos ouvidos dentro de casa, será proclamado dos telhados" (Lucas 12.3).
Medite no fato de que alguém muito mais santo do que seus pais e líderes da igreja, e a quem você deve mais responsabilidade, o está observando, mesmo quando você diz a si mesmo que está sozinho. Deus é onisciente e onipresente. Ele é o público de um:
 
"Para onde poderia eu escapar do teu Espírito? Para onde poderia fugir da tua presença? Se eu subir aos céus, lá estás; se eu fizer a minha cama na sepultura, também lá estás" (Salmo 139.7-10).
"Poderá alguém esconder-se sem que eu o veja?”, pergunta o Senhor.“Não sou eu aquele que enche os céus e a terra?” (Jeremias 23.23-24).
 
"Os olhos do Senhor estão em toda parte, observando atentamente os maus e os bons" (Provérbios 15.3).
 
"Os meus olhos veem todos os seus caminhos; eles não estão escondidos de mim, nem a sua iniquidade está oculta aos meus olhos". (Jeremias 16.17).
 
Deus não só vê nossas ações, ele conhece nossos pensamentos:
"de longe percebes os meus pensamentos. Antes mesmo que a palavra me chegue à língua, tu já a conheces inteiramente, Senhor" (Salmo 139.2,4).
 
"[Deus] conhece os segredos do coração" (Salmos 44.21).
 
"Eu sou o Senhor que sonda o coração e examina a mente". (Jeremias 17.10)
 
Na tentação, nossa teologia fica muito turva. A verdade é que momentos privados nāo existem. Deus nunca está sem ver. Está sempre observando. Podemos enganar a nós mesmos e aos outros, mas nunca a Deus. Ele sabe o que estamos pensando e o que estamos fazendo. E é a sua avaliação da nossa vida que, em última análise, importa.
 
15. Quando sentir a tentação chegando, antes que as coisas comecem a sair de controle, FUJA.
"Fujam da imoralidade sexual" (1 Coríntios 6.18). Quando se trata de tentação sexual, sempre vale a pena ser um covarde. Nesta batalha, o recuo é sempre a primeira linha de defesa. Aquele que hesita (e racionaliza) está perdido.
 
José demonstrou isso com a esposa de Potifar:
"Assim, embora ela insistisse com José dia após dia, ele se recusava a deitar-se com ela e evitava ficar perto dela ..." Ela o agarrou pelo manto e voltou a convidá-lo: 'Vamos, deite-se comigo!' Mas ele fugiu da casa, deixando o manto na mão dela." (Gênesis 39.10,12)
 
José não se recusou apenas a dormir com ela, mas a "ficar perto dela". Ele notou os sinais de perigo e a evitou. E quando ela finalmente se jogou sobre ele, ele não confiou em si mesmo para ficar onde estava, mas saiu correndo da casa. Não fique e tente "resistir" à tentação quando tem a opção de fugir dela. E não escolha estar perto de alguém quando essa pessoa é uma fonte de tentação para você, ou você para ela.
 
16. Estipule seus próprios padrões e aplique-os a você mesmo—nunca dependa do seu par.
Você, como indivíduo, é responsável e será cobrado perante Deus pelo que faz (Romanos 14.10-12; 2 Coríntios 5.10). As convicções de alguém ou a falta de convicções, ou seu autocontrole ou a falta de autocontrole não são o problema. (Embora você nunca deva namorar alguém que não tenha convicções e autocontrole). Você é totalmente responsável por seu comportamento. Se você cair na imoralidade sexual, a culpa é sua. Apontar o dedo para outra pessoa não funciona.
 
17. Faça suas decisões morais com antecedência—não no momento da tentação.
Se você programar seu despertador à noite e disser a si mesmo que amanhã decidirá se precisa ou não se levantar quando ele tocar, é melhor nem tê-lo programado. Ou você está empenhado em levantar-se ou não está. Se deixar seus sentimentos darem conta no momento da verdade, você tomará a decisão errada. Mais uma vez: no momento de força, faça escolhas que o sirvam bem no momento de fraqueza.
 
18. Memorize as Escrituras sobre a pureza sexual e cite-as quando tentado.
"Guardei no coração a tua palavra para não pecar contra ti." (Salmo 119.11). Quando Satanás o tentou, Jesus citou as Escrituras para resistir. Quando os ataques vierem, e eles virão, esteja pronto para tomar a espada do Espírito, que é a Palavra de Deus (Efésios 6.17). Há muitas passagens das Escrituras neste folheto. Escolha algumas, então escreva cada uma em uma ficha esforce-se para memorizá-las.
 
19. Não faça nada com seu par que você não quer que alguém faça com seu futuro esposo(a).
 
Em algum lugar, vive o homem ou a mulher com quem você vai se casar. O que você quer que eles estejam fazendo agora com outra pessoa? Então, viva neste mesmo padrão. "Como vocês querem que os outros lhes façam, façam também vocês a eles" (Lucas 6.31).
 
20. Fique atento para o "desgaste moral" de namoros longos e noivados longos.
É fácil chegar ao extremo emocionalmente, desgastar-se na batalha pela pureza sexual, começar a raciocinar que vocês são realmente um casal, e afinal de contas vocês namoram há anos e talvez vocês pensem que vão se casar de qualquer forma, então estão "quase" ou "tipo" casados, certo? Errado. Quando se trata da liberdade para fazer sexo há apenas dois tipos de pessoas: os solteiros, que não tem essa liberdade, e os casados, que tem.
Não fiquem noivos até que possam colocar o casamento em vista. Quando você está noivo as pessoas começam a tratá-lo como não mais solteiro, quando na verdade você é. Você pode ser enganado a entrar em alguns dos privilégios do casamento antes do casamento, especialmente a intimidade sexual.
 
21. Se você violou algumas dessas diretrizes, confesse, se arrependa e implemente um plano para evitar futuras violações.
 
Quando você confessa e se arrepende de seus pecados, Deus irá limpá-lo:
"e como o Oriente está longe do Ocidente, assim ele afasta para longe de nós as nossas transgressões". (Salmo 103.12)
 
"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça." (1 João 1.9)
 
Um homem se confessou um dia ao seu padre: "Padre, me perdoe por roubar uma meia carga de feno na noite passada. . . Não, na verdade, uma carga inteira ". O padre disse: "O que foi, uma meia carga ou uma carga inteira?" O homem respondeu: "Na verdade uma carga inteira. . . Voltarei esta noite para pegar a outra metade."
 
A confissão não é genuína quando se planeja repetir o mesmo pecado. Deve haver um verdadeiro arrependimento.
 
Mesmo se você já não é virgem, pode e deve se comprometer com a virgindade secundária—permanecer sexualmente puro a partir deste dia, preservando-se apenas para o seu parceiro de casamento, se Deus escolher lhe dar um. É necessário mais do que boas intenções para manter sua pureza—é necessário um plano. O plano que você formular pode incorporar uma série de elementos que mencionamos, mas deve incluir evasão e responsabilidade. Se você está empenhado em um relacionamento com um cristão em desenvolvimento, discuta-o com honestidade e formule um plano para evitar cair de volta na intimidade pré-marital.
 
22. Seja radical—faça o que for necessário para proteger sua pureza sexual.
Quando se trata de causas do pecado, não espere que elas diminuam por conta própria (nunca vai acontecer), tomem medidas decisivas para cortá-las. Considere as palavras poderosas de Cristo em Mateus 5 (repetidas em 18.8-9):
 
“Vocês ouviram o que foi dito: ‘Não adulterarás’. Mas eu digo: Qualquer que olhar para uma mulher e desejá-la, já cometeu adultério com ela no seu coração. Se o seu olho direito o fizer pecar, arranque-o e lance-o fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ser todo ele lançado no inferno. E, se a sua mão direita o fizer pecar, corte-a e lance-a fora. É melhor perder uma parte do seu corpo do que ir todo ele para o inferno." (Mateus 5.27-30).
 
Creio que Jesus usou esta imagem chocante para persuadir seus ouvintes a fazerem o que for necessário para lidar com a tentação. (A mão e o olho não são as causas do pecado, mas o olho é um meio de acesso para a entrada tanto para a piedade quanto para a tentação, e a mão é um instrumento de ação, pecadora ou justa. O que o olho enxerga e o que a mão toca é o que devemos governar cuidadosamente para proteger nossa pureza.) Remover uma televisão de uma casa, livrar-se de um computador ou sair do seu caminho para nunca caminhar por um rack de revistas podem parecer medidas drásticas, mas não são nada comparadas a arrancar um olho ou cortar uma mão! Jesus está nos ensinando que necessitamos pensar muito mais radicalmente e contra-culturalmente em nossos esforços para sermos sexualmente puros.
 
Não seja casual ou gradual, seja decisivo. Se isso significa nunca entrar na Internet, nunca entrar em uma loja de vídeo, nunca estar com uma determinada pessoa, nunca ouvir certos tipos de música, então faça essa resolução, por mais radical ou extrema que seja. (A Bíblia não me diz que devo assistir TV ou vídeos ou enviar e-mail—ela me diz que devo proteger minha mente das impurezas.) Você pode pensar: "Eu deveria ser forte o suficiente para resistir a esta tentação", mas se você não for tome todas as medidas para evitá-la. Se estas coisas parecem ser muletas, tudo bem—use quaisquer muletas necessárias para ajudá-lo a andar.
 
Um homem de negócios cristão que viaja quase todas as semanas me disse que sua caminhada com Deus tinha sido completamente corroída por uma razão—ele ficava em hotéis e teve uma longa história de não resistir à tentação apresentada pela "caixa preta" em cima da TV, o que continuou atraindo-o para ver filmes pornográficos.
 
Depois de anos de culpa e arrependimento, seguido de sucumbir repetidas vezes a esta mesma tentação, ele finalmente mudou sua estratégia. Um dia, quando entrou em um hotel, disse: "Por favor, remova a TV do meu quarto".
 
Quando o funcionário do balcão falou: "Senhor, se você não quer assistir TV, simplesmente não ligue", ele respondeu: "Eu sou um cliente pagante e gostaria que a televisão fosse removida". Eles enviaram um homem de manutenção para removê-la e ele passou suas tardes na leitura de das Escrituras e livros cristãos sem tentação para ver.
 
No momento de força, ele tomou uma decisão que o guardou da tentação no momento de fraqueza. Ele me disse que fez isso em todos os hotéis em que permaneceu nos últimos três anos e disse: "Esta única ação revolucionou minha vida cristã".
 
Se isto significa nunca estar sozinho atrás de portas fechadas com seu par, então seja. Faça o que for necessário. Seja criativo, seja radical e faça tudo o que puder para evitar a tentação.
 
23. Conte o custo da impureza. 
Ensaie com antecedência as consequências devastadoras do pecado sexual e você terá menos probabilidades de cometê-lo.
 
As conseqüências são graves e muitas delas são contínuas—perder sua virgindade, decepcionar seu Senhor, ser um mau exemplo para familiares ou amigos, ter que no futuro contar para alguém que você ama; A forte possibilidade de gravidez indesejada e doenças sexualmente transmissíveis graves; As imagens mentais de seu pecado sexual que podem prejudicá-lo; Os obstáculos ao casamento produzidos pelo sexo pré-marital; A maior possibilidade de sexo extra-conjugal (adultério) entre aqueles que tiveram sexo pré-marital.
 
Lembre-se de que, se você cometeu o pecado da fornicação, isto nunca pode ser neutralizado pelo maior pecado do aborto. O sexo pré-marital é um pecado; A gravidez não é pecado. Não faça uma criança pagar as consequências de sua escolha errada. Tenha a coragem de fazer a escolha certa agora.
 
Não diga a si mesmo que pode prosseguir e pecar, já que Deus o perdoará de qualquer maneira. Isso deprecia a graça de Deus. Qualquer conceito de graça que faça com que o pecado pareça sem importância não é bíblico. Deus perdoa quando nos arrependemos sinceramente, mas se nos arrependermos sinceramente, demonstraremos isso tomando as medidas necessárias para evitar a tentação. Mesmo uma pessoa perdoada tem lidar com muitas consequências do seu pecado. Se eu ficar bêbado, dirigir imprudentemente, atropelar uma menina de seis anos e matá-la, se eu me arrepender, Deus me perdoará. Mas o seu perdão não vai trazer a menina de volta à vida, nem vai me absolver das consequências legais e relacionais do meu pecado. O pecado sexual tem conseqüências duradouras—não presuma que o perdão de Deus o livra de tudo. Ele remove a culpa, mas nem sempre remove conseqüências. É assim que a vida funciona.
 
"A vontade de Deus é que vocês sejam santificados: abstenham-se da imoralidade sexual. Cada um saiba controlar o seu próprio corpo de maneira santa e honrosa, não dominado pela paixão de desejos desenfreados, como os pagãos que desconhecem a Deus". (1 Tessalonicenses 4.3-5).
 
Considerações Finais
 
Você está pronto para se comprometer ou se comprometer novamente com uma vida de pureza sexual? Agora é a hora. Nada é mais passageiro do que o momento da convicção. Responda agora, ou talvez nunca responderá.
 
Não negue a realidade. Deus criou um universo no qual a justiça sempre é recompensada a longo prazo, e a injustiça sempre é punida a longo prazo. O certo é sempre o que é inteligente:
 
“Eu sou o Senhor que sonda o coração e examina a mente, para recompensar a cada um de acordo com a sua conduta, de acordo com as suas obras.” (Jeremias 17.10)
 
"Não o perceberia aquele que pesa os corações? Não o saberia aquele que preserva a sua vida? Não retribuirá ele a cada um segundo o seu procedimento?" (Provérbios 24.12).
 
"Pois o Filho do homem virá na glória de seu Pai, com os seus anjos, e então recompensará a cada um de acordo com o que tenha feito." (Mateus 16.27)
 
“ ‘Muito bem, meu bom servo!’, respondeu o seu senhor. ‘Por ter sido confiável no pouco, governe sobre dez cidades.’" (Lucas 19.17).
 
"Deus “retribuirá a cada um conforme o seu procedimento”". (Romanos 2.6)
 
"Porque vocês sabem que o Senhor recompensará cada um pelo bem que praticar." (Efésios 6.8)
 
Viva de forma a ouvir o seu Senhor dizer-lhe um dia, "Muito bem". Fique do lado certo do sistema moral do universo. Honre a Deus vivendo em pureza sexual. Se fizer isso, conhecerá suas bênçãos e recompensas não só hoje, amanhã e dez anos a partir de agora, mas por toda a eternidade.
 
“Fiz acordo com os meus olhos de não olhar com cobiça para as moças. Pois qual é a porção que o homem recebe de Deus lá de cima? Qual a sua herança do Todo-poderoso, que habita nas alturas? Não é ruína para os ímpios, desgraça para os que fazem o mal? Não vê ele os meus caminhos e não considera cada um de meus passos? Se me conduzi com falsidade, ou se meus pés se apressaram a enganar, Deus me pese em balança justa, e saberá que não tenho culpa—se meus passos desviaram-se do caminho, se o meu coração foi conduzido por meus olhos, ou se minhas mãos foram contaminadas, que outros comam o que semeei e que as minhas plantações sejam arrancadas pelas raízes. Se o meu coração foi seduzido por mulher, ou se fiquei à espreita junto à porta do meu próximo, que a minha esposa moa cereal de outro homem, e que outros durmam com ela. Pois fazê-lo seria vergonhoso, crime merecedor de julgamento. Isso é um fogo que consome até a Destruição; teria extirpado a minha colheita" (Jó 31.1-12).
 
O Princípio da Pureza inclui diretrizes práticas para proteger a pureza, para solteiros, para casais e para os pais que desejam treinar seus filhos para a pureza. Estes incluem o controle da televisão e da internet, e oferta de alternativas para como gastar nosso tempo. Também inclui confissão, arrependimento e desenvolvimento da responsabilidade bíblica que não apenas admita o pecado, mas que o impeça. 

Guidelines for Sexual Purity

I’ve developed the following material and presented it to many young people and their parents over many years. When my now married daughters were teenagers, I honed it further for sharing and discussion with them and the young men who asked to date them. Until we had gone over these principles together (my wife and I, our daughter and the boy) and made sure there was complete agreement, we didn’t allow a dating relationship to begin.

We found that this was a great help not only to our daughters but also to the young men who wanted to date them. We made our expectations clear, gave them specific guidance and principles (not just rules), and told them we’d be asking them if they were living up to these standards. This deepened our relationship, opened communication and created healthy accountability.

Though there were sometimes nervous jitters as family members (and especially the young men) anticipated these sessions, in each case the time together was strategic, encouraging and rewarding. Having consistently practiced this when they were dating, it was impossible for us and for our daughters to imagine them dating a young man without first openly addressing with him all the principles that follow. (Each time we did this, of course, it further reinforced these principles for our daughters and for us.)

“It is God’s will that you should be sanctified: that you should avoid sexual immorality; that each of you should learn to control his own body in a way that is holy and honorable, not in passionate lust like the heathen, who do not know God.” (1 Thessalonians 4:3-5).

Part One: What You Need to Know

1. Sex is good. God created it, God called it “good,” and it existed before there was any sin in the world.

Sex was not created by Satan, Playboy, Hollywood, HBO, rock musicians or the Internet. Sex was created by the holy God of heaven, where purity reigns.

God made sex physically desirable by creating us with sex drives, without which sex wouldn’t exist and neither would people. God’s Word speaks openly of the pleasure of sex within the marriage relationship (Proverbs 5:18,19; Song of Solomon 4:5; 7:1, 6-9).

We shouldn’t be ashamed to talk about what God wasn’t ashamed to create. However, God requires us to address the subject in keeping with his intentions and requirements, not the world’s. He warns us not to talk about sex in any inappropriate context:

But among you there must not be even a hint of sexual immorality, or of any kind of impurity, or of greed, because these are improper for God’s holy people. Nor should there be obscenity, foolish talk or coarse joking, which are out of place. (Ephesians 5:3-4)

God designed sex for the sacred union of marriage, and reserves it for that union. It is both the means by which children are conceived (something very close to God’s heart) and a means by which marital intimacy is expressed and cultivated. When it takes place in its proper context, God is definitely pro-sex.

2. Like all good gifts from God, sex can be misused and perverted.

Water is a gift of God, without which we couldn’t survive. But floods and tidal waves are water out of control, and the effects are devastating. Fire is an energy-producing gift of God that gives warmth and allows us to cook. But a forest fire or a house burning to the ground or a person engulfed in flames is fire out of control-it is horrible and frightening. Water and fire are good things which, when they occur outside their God-intended boundaries, become bad.

Likewise, God designed sex to exist within certain boundaries. When exercised in line with God’s intended purpose, it is beautiful and constructive. When out of control, violating God’s intended purpose, it becomes ugly and destructive. Sex is a good thing which, when it occurs outside its God-designed boundaries, becomes bad.

The problem isn’t sex—the problem is us. We’re sinners who can pervert, abuse, and rip away from their proper place the good things God created. The greater the gift from God, the more power it has both for good and bad. Inside marriage, sex has great power for good. Outside marriage it has equally great power for bad.

3. The boundaries of sex are the boundaries of marriage.

Sex and marriage go together. Sexual union is intended as an expression of a lifelong commitment, a symbol of the spiritual union that exists only within the unconditional commitment of marriage. Apart from marriage, the lasting commitment is absent and the sex act becomes a false expression, a lie.

Every act of sex outside of marriage cheapens both sex and marriage. Sex is a privilege inseparable from the responsibilities of the sacred marriage covenant. To exercise the privilege apart from the responsibility perverts God’s intention for sex.

Sex is designed to be the joining of two persons, of two spirits, not just two bodies. Sex should be giving to someone to whom I’m 100% committed (as measured by the state of legal marriage), not taking from someone to whom I’m uncommitted or partially committed.

“But we really love each other” has no bearing on the ethics of sexual intimacy—sex does not become permissible through subjective feelings, but through the objective lifelong commitment of marriage.

4. Your sexual purity is essential to your walk with God.

Sexual purity is not an option for an obedient Christian, it’s a requirement. God’s will is centered on our character and moral purity much more than on our circumstances, such as job, housing and schooling. You want to know God’s will? You don’t have to wonder. Here it is: “It is God’s will that you should be sanctified: that you should avoid sexual immorality” (1 Thessalonians 4:3). There is no sense seeking God’s will in other areas when you are choosing to live in sexual impurity in your mind or body.

     "Who may ascend the hill of the LORD? Who may stand in his holy place?
     He who has clean hands and a pure heart.” (Psalm 24:3-4)

     "If I had cherished sin in my heart, the Lord would not have listened.” (Psalm 66:18)

     "If anyone turns a deaf ear to the law, even his prayers are detestable.” (Proverbs 28:9)

     "When I called, they did not listen; so when they called, I would not listen,’ says the LORD Almighty.” (Zechariah 7:13)

Sexual purity is inseparable from a committed Christian life. If you are not living in sexual purity, God will not hear your other prayers until you offer the prayer of confession and repentance and commit yourself to a life of holiness (1 John 1:9).

5. You are vulnerable to sexual immorality.

Don’t kid yourself that it can never happen to you—it can. And if you don’t think it can, it almost certainly will.

     "Pride goes before destruction, a haughty spirit before a fall.” (Proverbs 16:18)

     "So, if you think you are standing firm, be careful that you don’t fall!” (1 Corinthians 10:12)

     "Brothers, if someone is caught in a sin . . . watch yourself, or you also may be tempted.” (Galatians 6:1)

If you think you’ll never be burglarized, you’ll fail to take precautions to keep it from happening. If you think you’ll never fall sexually, you’ll fail to take precautions to keep it from happening.

6. You are targeted for sexual immorality.

Years ago there was scuttlebutt about an international “hit list,” a calculated plan for paid assassins to murder strategic world leaders. The Enemy, Satan, has maintained a moral “hit list” throughout the ages. Since God’s children are close to God’s heart, Christians are at the very top of that list.

The more involved you are in serving Christ, the greater vested interests Satan has in destroying you and God’s work in and through you. The evil one wants to take you down and to use your life as a bad example to other Christians, who will imitate your moral compromise. God requires that we be holy and pure instruments to be used by him (2 Timothy 2:20-21). More Christians—including Christian leaders—become useless and are lost to serving Christ due to sexual immorality than anything else. (See my booklet Sexual Temptation: Establishing Guardrails and Winning the Battle.)

Here’s the reality—the forces of evil have taken out a contract on you. There’s a price on your head. Satan has declared war on you: “Our battle is not against flesh and blood, but against principalities and powers of darkness, against spiritual forces of evil in the invisible realm” (Ephesians 6:12). These evil beings have vested interests in your moral collapse. They will do everything in their power to strike out at Christ and his church through enticing you into immorality.

Satan is neither omnipresent nor omnipotent—there are only so many demons and none of them can be two places at once. Therefore, fallen angels attack and tempt not indiscriminately but with strategic purpose. Satan does not have to waste his time on those who have already made the biggest messes of their lives. Rather, he specially targets those whose fall would have the greatest negative effect on the kingdom of God. That’s why God’s Word warns Christians:

”Be self-controlled and alert. Your enemy the devil prowls around like a roaring lion looking for someone to devour” (1 Peter 5:8).

The devil wants to derail you from serving God. He wants you imprisoned to sin. God wants you free. Only by exercising self-control and being on alert can we expect to resist the enemy’s plan to lead us into sin. Satan “scouts us out” and knows only too well the chinks in the armor of every Christian. His aim is deadly, he excels at tailor-made temptations, and it is at our points of greatest vulnerability that he will attack.

Don’t forget that “the one [Christ] who is in you is greater than the one who is in the world” (1 John 4:4). As powerful as the evil one is to tempt us, God is infinitely more powerful to deliver us and has given us in Christ all the resources we need to live godly lives:

His divine power has given us everything we need for life and godliness through our knowledge of him who called us by his own glory and goodness. Through these he has given us his very great and precious promises, so that through them you may participate in the divine nature and escape the corruption in the world caused by evil desires. (2 Peter 1:3-4)

7. Your body belongs to God, not you.

"You are not your own; you were bought at a price. Therefore honor God with your body” (I Corinthians 6:20).

If it’s my house, I have the right to do what I want with it. If it’s someone else’s, I don’t. Sometimes when I’m speaking I ask to borrow a pencil from someone in the audience. Then I break it in half, throw it to the floor and stomp on it. There’s always a wide-eyed silence and expressions of shock and discomfort in the audience. I ask them why they’re bothered by what I’ve done, why they think I did something wrong. Someone always says “because it wasn’t your pencil.” Then I explain that it really was my pencil, that I gave it to the person ahead of time and asked her to hand it to me when I called on her. Suddenly it changes everything, because if it belongs to me, then (and only then) do I have the right to do with it as I please. If it belongs to someone else, I have no such right.

When you came to Christ, when you affirmed him as Lord of your life, you surrendered your entire self, including your body, to God. The title to your life was transferred from you to God. Christ owns you and your body. You are bought and paid for. “Your body” is really his body. He paid the ultimate price for it. What price? The shed blood of God Almighty! We are his both by virtue of his creation and his redemption. God has every right to tell me what to do with my mind and body. I have no right to do whatever I want with what belongs to God.

8. Sexual purity begins in the mind, not the body.

"As a man thinks in his heart, so is he” (Proverbs 23:7).

"For out of the heart come evil thoughts, murder, adultery, sexual immorality . . .” (Matthew 15:19-20).

"But I tell you that anyone who looks at a woman lustfully has already committed adultery with her in his heart” (Matthew 5:28).

You will inevitably adopt the morality of the programs, movies, books, magazines, music, Internet sites and conversations you participate in. GIGO—Garbage in, garbage out; Godliness in, godliness out. The cognitive is basic to the behavioral—you become what you choose to feed your mind on.

     Sow a thought, reap an action;
     Sow an action, reap a habit.
     Sow a habit, reap a character.
     Sow a character, reap a destiny.

Your future can be accurately predicted by what you allow your mind to dwell on. Sinful actions don’t come out of nowhere—they are the cumulative product of little moral compromises made over time, which ultimately culminate in ungodly behavior.

There’s nothing new about sexual temptation—what’s new is how it has invaded our homes. In first century Corinth there were prostitutes all over the streets, but when you entered your home you had a sanctuary from the temptation. We live in a technological Corinth, where immorality can come into the privacy of our home through airwaves (television) and modems (the Internet). Most of us are only a few pushbuttons away from sexual immorality of the mind. Every choice we make to view and contemplate immorality desensitizes us to its evil.

Actions, habits, character and destiny all start with a thought, and thoughts are fostered by what we choose to take into our minds. Therefore we should take extreme care about what we feed our minds on.

”Above all else, guard your heart [mind, inner being], for it is the wellspring of life” (Proverbs 4:23).

If someone wants to pollute water, he pollutes it at its source. If he wants to purify water, he purifies it at its source. Our thoughts are the source of our lives. All our lives flow from our mind, and through the choices we make every day we program our minds, either for godliness or ungodliness.

"Turn my eyes away from worthless things; preserve my life according to your word” (Psalm 119:37)

Our minds are not a vacuum—they will be filled with something. It is necessary to turn our minds from the worthless, but it’s not sufficient. We also must fill our minds with good thoughts that crowd out and combat the bad ones. It’s not enough to say “don’t think about anything bad.” (If I say, “don’t think about spiders,” what do you think about?) We must also choose to think about the good. (If I say “think about your favorite dessert,” pretty soon you stop thinking about spiders.) Time in the Word, in prayer, and in conversations with Christ-centered friends reinforces our commitment to purity.

"Whatever is true, whatever is noble, whatever is right, whatever is pure . . . think about such things” (Philippians 4:8).

We can’t avoid every temptation, but we can avoid many of them, and we can certainly resist their attempts to take hold of us. Martin Luther said, “You can’t keep the birds from flying over your head, but you can keep them from making a nest in your hair.”

Be careful what you expose your mind to. If you’re on a diet, don’t go to Baskin & Robin’s. If you do, your resistance will break down. If you want to abstain from lust you don’t go places and watch movies and programs and read things that stimulate lust.

Your body will go where your mind allows it to. When it comes to your sexual purity, the ultimate battle is in your mind. Don’t give your mind junk food. Be sure you’re getting spiritual nutrition.

9. Since God doesn’t want you to have premarital sex, neither does he want you to do that which prepares your body for premarital sex.

“How far can I go?” This is a common question, but it isn’t the best question because usually it means “how close can I get to disobeying God without actually doing it?” If a parent tells his child “Don’t step out on the freeway,” an obedient child won’t go dangle his leg over the freeway, he’ll stay far away from it. By putting himself close to the freeway, he subjects himself to unnecessary temptation to act on his impulses, disobey and put himself in grave danger.

God made the body and mind with sex drives, and as those drives are stimulated they move toward a climax—this is a simple fact of life that no one should be naïve about. Caressing each other in sexually stimulating ways is foreplay, and foreplay is designed by God to culminate in sexual intercourse. Since intercourse is forbidden outside marriage, so is foreplay. Since sexual intercourse before marriage is wrong, it is also wrong to engage in activity that propels mind and body toward sexual intercourse.

"Flee the evil desires of youth, and pursue righteousness, faith, love and peace, along with those who call on the Lord out of a pure heart.” (2 Timothy 2:22)

There is a continuum of physical contact that begins with things like sitting close and hand-holding on the near side and moves to sexual intercourse on the far side. In between might be an arm around the shoulder, a brief hug, a kiss on the cheek, a kiss on the mouth, a longer hug, prolonged kissing, fondling, etc. Scripture does not spell out exactly what “intermediate” behavior is permissible, but one thing is certain—the line must be drawn before either of you becomes sexually stimulated. This means that fondling—and anything else that results in a “turn on”—is forbidden.

If one of you begins to be stimulated even by an apparently innocent physical contact, then both of you should back off immediately. If you don’t back off, you are choosing to stay on a canoe headed toward a waterfall. This is not just wrong, it’s stupid. (Those who allow their minds to dwell on what’s immoral and who engage in sexual stimulation together shouldn’t be surprised when they have sexual intercourse. It’s simply the natural result of the choices they’ve made. If you want a different outcome, you must make different choices.)

Guys are more quickly and easily stimulated than girls. A girl often thinks extended kisses and hugs are fine, naïve to the fact that the guy is sexually stimulated and is tempted to push for more. Again, make sure you draw the line far enough back that neither of you crosses it.

10. Once you let your body cross the line, it will neither know nor care about your Christian convictions.

Some Christians pray God will protect their purity, then willfully put themselves into temptation and wonder why God didn’t answer their prayer. This is like putting a book at the corner of a table and praying “God please don’t let this book fall,” when all the while you keep pushing it further and further off the edge. No matter how fervently you pray that the book won’t fall, it will fall if you continue to choose to push it. No matter how fervently you pray that you will not fall into immorality, you will fall if you continue to make choices that feed your temptation toward immorality. Don’t allow your choices to undermine and invalidate your prayers.

11. If you have sexual intimacy with someone outside marriage, you are stealing from God and the other person.

Since he or she belongs to God, not you, that means you are borrowing this person for the evening. Be careful what you do with what doesn’t belong to you. You’ll be held accountable to his or her Owner.

12. God has your best interests in mind when he tells you not to have premarital sex.

What’s right is always smart, and always for your good. Sex is not just something you do—sex is someone you are. It is linked to the welfare of your whole person.

Having sex outside of marriage is self-destructive in every sense. Sexual purity is always for the best—not only for God and others, but for you.

13. God would not tell you to abstain from impurity if it was impossible to obey him.

God is not cruel. He doesn’t command you to abstain from necessities, such as eating or drinking or breathing. Sex is something everyone can abstain from—it is a strong desire, yes, but never an emergency, never a necessity. Christ has given us the resources to resist every temptation:

"The grace of God teaches us to say ‘No’ to ungodliness and worldly passions, and to live self-controlled, upright and godly lives in this present age” (Titus 2:12).

"His divine power has given us everything we need for life and godliness through our knowledge of him who called us by his own glory and goodness. Through these he has given us his very great and precious promises, so that through them you may participate in the divine nature and escape the corruption in the world caused by evil desires” (2 Peter 1:3-4).

You do not have to watch that movie. You can turn it off, walk out, go in the other room. You don’t have to click on that link to an ungodly website. You don’t have to fondle the person you’re dating. You can and should draw upon your resources in Christ, and say “no” to temptations to sin.

14. Satan will lie to you about sex, but Jesus tells you the truth.

Jesus said of Satan, “He was a murderer from the beginning, not holding to the truth, for there is no truth in him. When he lies, he speaks his native language, for he is a liar and the father of lies” (John 8:43-44).

Satan is an expert at telling lies, and he tells them smoothly and convincingly. He has persuaded many young people “it’s okay to touch her there, it’s okay to let him touch you, it’s natural, it won’t hurt anything.” Soon there’s lust, sin, devastation, disillusionment, loss of respect, conflict, insecurity and sometimes unwanted pregnancy and sexually transmitted diseases. Many young people end up angry and bitter at themselves and others because they bought the lie, the relationship is ruined and now they are paying the price.

Satan is a liar, but Jesus is the truth and the truth-teller (John 14:6). He said, “If you hold to my teaching, you are really my disciples. Then you will know the truth and the truth will set you free” (John 8:32). Those who believe Satan’s lies about sex end up in bondage. Those who believe Christ’s truth about sex end up free.

Identify and meditate on the truths Christ tells you. Identify and reject the lies Satan tells you.

15. You must learn to think long term, not short term.

Good or bad, you will always reap what you sow—you will always harvest the consequences of your choices.

'Do not be deceived: God cannot be mocked. A man reaps what he sows. The one who sows to please his sinful nature, from that nature will reap destruction; the one who sows to please the Spirit, from the Spirit will reap eternal life. Let us not become weary in doing good, for at the proper time we will reap a harvest if we do not give up.” (Galatians 6:7-9)

It doesn’t matter how smart you think you are. It doesn’t matter whether you have a Ph.D. in physics, if you step off the tenth story of a building, you will fall to your death. Gravity is law—there’s just no getting around it. Likewise, God has set up spiritual laws that govern the universe, including laws concerning our sexual behavior. If we break his commandments, ultimately we get broken.

Scripture teaches two basic alternatives in life, the way of God and the way of men, the way of holiness and the way of sin. Proverbs speaks of the path of wisdom and the path of foolishness, and calls upon us to make right choices, which are also wise, and avoid wrong choices, which are also foolish. After laying out the blessings of obedience and the curses of disobedience, God said,

"This day I call heaven and earth as witnesses against you that I have set before you life and death, blessings and curses. Now choose life, so that you and your children may live” (Deuteronomy 30:19).

The lifelong consequences of sexual impurity are worse than we can imagine. The lifelong rewards of sexual purity are greater than we can imagine.

 

Part Two: What You Need to Do (Guidelines for Protecting Purity in Dating)

1. Realize you don’t have to date.

Much sexual temptation today is created by our social practice of coupling and isolating young people instead of doing what the Hebrew culture and many others have done—requiring that single people spend time together only in a context supervised by parents and other adults.

This structure of direct parental involvement and carefully overseen courtship has been the normal social structure; it is ours that is abnormal. In our culture, the unprecedented combination of young people’s leisure time, money, transportation and being permitted to be alone for long hours and late at night—and the large gap between the average age of puberty and marriage—have proven overwhelming temptations to many, Christians included. (This is especially true in a culture that distorts teen sex, making it look romantic and healthy, when in fact it is usually unfulfilling, often emotionally devastating, and always morally wrong.)

Many people think that to be normal you have to date. But just because lots of other people do doesn’t mean you have to. It’s an option, not a need. With the upside comes the downside of definite risks and temptations. You can enjoy fun positive friendships with people of the opposite sex and be involved in all sorts of activities without coupling up with one person. If you’re interested in the case for courtship rather than dating, see the best-selling I Kissed Dating Goodbye, A New Attitude Toward Romance and Relationships by Joshua Harris (Multnomah, 1997).

If you do choose to date, the following guidelines can help you maintain a walk with God and guard your purity.

2. If you’re a Christian, only date Christians.

Dating is the path to marriage. You will not marry every person you date. But the person you marry will be someone you dated. Therefore every date is a potential mate. There is no such thing as “just dating”—you don’t “just” bungee jump from a helicopter, or “just” fight on the front lines of a battle and you don’t “just” date. It’s too important to say “just.” Too much is at stake.

God says “Do not be yoked together with unbelievers . . . what fellowship can light have with darkness?” (2 Corinthians 6:14). Don’t enter into any relationship that could compromise your convictions. The closer the relationship the greater the danger.

There are many contexts in which to do evangelism—dating isn’t one of them. God doesn’t call anyone to missionary dating. Far too much is at risk. For the same reason you wouldn’t marry a nonchristian, you shouldn’t date one. If you wouldn’t eat poison mushrooms, don’t put them on your plate. If that seems an unfair comparison to dating an unbeliever, reread 2 Corinthians 6:14.

If you wouldn’t marry a person because they don’t know Christ, that’s a good enough reason not to date them. More young men and women are derailed from their walk with Christ by dating nonbelievers than anything else. The longer you allow a relationship to go on with a nonbeliever, the more cloudy your judgment will become and the more likely you will commit immorality and turn your back on the Lord in other ways. Convictions waver when we place ourselves in the realm of temptation. There is only one way to be sure you do not marry an unbeliever: never date an unbeliever.

3. If you’re a committed disciple, only date committed disciples. (And if you’re not a committed disciple, why aren’t you?)

It is necessary to date only Christians, but it is not sufficient. Many Christians lack moral fiber, convictions, maturity, and discipline. Just because a person is a Christian doesn’t make him or her morally safe or a worthy partner. Let’s face it—some Christians are still jerks, and a Christian jerk is still a jerk.

Don’t expect perfection in the person you date. But do expect character and godliness. Don’t date someone with spiritual problems or character deficiencies that would cause you not to marry them.

This assumes that you yourself are a growing Christian, that you are developing a strong character and strong convictions. If you’re not a committed, growing disciple, then a committed, growing disciple shouldn’t be dating you. Don’t only think about being out of God’s will if you date the wrong person—also think about whether someone else would be out of God’s will dating you. The first key is being the right person, the second key is dating the right person.

4. Choose dates by character, not just appearance.

“The LORD does not look at the things man looks at. Man looks at the outward appearance, but the LORD looks at the heart.” (1 Samuel 16:7)

Appearances change over time. You’ll find that out at your ten year and twenty year class reunions! But even in the short-run, a person who looks great at first glance but who lacks character and depth quickly becomes less attractive. A person with strong character quickly becomes more attractive. When we judge people by their appearances, often we turn out to be dead wrong—and meanwhile we may have made foolish choices.

5. Realize Christ is watching and is with you all evening—wherever you go and whatever you do.

He is watching you because he is omniscient. He is with you because he’s omnipresent, but as a believer he is with you in a very special way—he indwells you, you are his holy temple. You are the holy of holies, the dwelling place of the Almighty: “Do you not know that your bodies are members of Christ himself? Shall I then take the members of Christ and join them to a prostitute (or anyone else in an immoral action)? Never!” (1 Corinthians 6:15). Since the Holy Spirit of God is within us, when we do evil with our bodies we bring God himself to the evil with us. This should be an unthinkable blasphemy for any Christian.

6. Realize where you go and who you go with will influence your sexual desires.

It’s our nature to be influenced by our surroundings. When we put ourselves in a godly atmosphere with godly people, we are influenced toward godliness. When we put ourselves in an ungodly atmosphere with ungodly people we are influenced toward ungodliness.

"Do not be misled: ‘Bad company corrupts good character.’” (I Corinthians 15:28)

"He who walks with the wise grows wise, but a companion of fools suffers harm.” (Proverbs 13:20)

"Stay away from the foolish man, because you will not find knowledge on his lips.” (Proverbs 14:7)

". . . rash, conceited, lovers of pleasure rather than lovers of God . . . Have nothing to do with them.” (2 Timothy 3:4-5)

7. Realize your date is your brother or sister in Christ—not your “lover.”

“Treat older women as mothers, and younger women as sisters, with absolute purity” (1 Timothy 5:2). Don’t go into dating with the goal of romance, but the goal of spending time with your brother or sister. When you begin a relationship, a rule of thumb is, don’t do anything physically you wouldn’t do with your brother or sister.

If a Christ-centered and positive relationship develops, then you might move to cautious displays of affection such as hand-holding. But be alert to the difference between appropriate affection and intimacy. You must stay safely back from the line where either one is propelled toward sexual intimacy. It’s very hard to move back once you’ve crossed a line—so don’t cross it in the first place.

This person may end up being a lifelong friend, or married to your best friend. Don’t do anything with him or her that would cause you to be embarrassed or self-conscious if you end up being best man or maid of honor at his wedding.

8. Focus on talk, not touch; conversation, not contact.

Dating is a time to explore minds and souls, not bodies. Treat your date as a subject to listen to and understand and appreciate, not an object to experiment with, conquer or satisfy your desires.

9. Avoid fast moving relationships and instant intimacy.

Pace your relationship. Take it step by step, don’t go into a free fall. A car moving too fast is likely to swerve out of control when it hits a slick spot. Keep your foot near the brake. Don’t let this relationship get out of control.

10. Plan the entire evening in advance, with no big gaps.

Gaps always get filled, often with temptations to sexual impurity. Know what you’re doing and either stick with the plan or go somewhere safe, where you’re in the sight of others (particularly others who respect the need for purity). You can still have a private conversation even in a room full of people. But their presence will encourage you to focus on the conversation rather than on temptation to impurity.

11. Avoid setups like the plague.

Setups include such things as being alone on a couch or in a car late at night or in a bedroom. (Stay out of each other’s bedrooms!) Learn not to trust yourself too much. Psychologist Henry Brandt’s teenage son asked him, “Dad, don’t you trust me?” Brandt responded, “Alone, late at night, in a car, with a girl? I don’t trust me—why should I trust you?”

Determine to stay away from the setup, rather than putting yourself in the setup and having to call on your convictions when your resistance is at its lowest, and you’re most likely to give in. In the moment of strength, make decisions that will avoid temptation in the moment of weakness. When you’re on a diet, don’t step foot in a doughnut shop. In fact, don’t even walk down the street the doughnut shop’s on.

12. Be accountable to someone about your physical relationship.

This should be a committed brother or sister in Christ, usually the same gender as you. It should be someone who takes sexual purity seriously, someone with wise advice, who will pray for you and help hold you accountable to high standards.

Parents should talk openly with their children involved in dating relationships. They should go over these guidelines for purity and tell their kids, “Because we love you and it’s our job to protect you, from time to time we’re going to ask you how you’re doing in maintaining purity in your relationship.” It is not only a parent’s right to ask such a question, but his responsibility.

We all need someone to be honest with us. It’s a great help just to have someone ask you, “How did it go last night? Did you honor the Lord? Did you maintain your purity?” If you know someone’s going to ask, it’s a great motivator to choose wisely.

13. Pray together at the beginning and end of each date.

Commit the evening or day in advance to the Lord. Ask him to be pleased in everything you do. Plan to pray at the end of the date to thank him for the evening. If you know this prayer is coming, it will help you to be sure to control yourself and please God.

14. Imagine your parents and church leaders are watching you through the window.

Would that change how you behave? Then realize your life is not private, it’s an open book to be seen by a watching world:

"What you have said in the dark will be heard in the daylight, and what you have whispered in the ear in the inner rooms will be proclaimed from the roofs” (Luke 12:3).

Meditate on the fact that someone much more holy than your parents and church leaders, and to whom you are even more accountable, is watching you, even when you tell yourself you’re alone. God is omniscient and omnipresent. He is the Audience of One:

"Where can I go from your Spirit? Where can I flee from your presence. If I go up to the heavens, you are there; if I make my bed in the depths, you are there." (Psalm 139:7-10)

"Can anyone hide in secret places so that I cannot see him?” declares the LORD. ”Do not I fill heaven and earth?” (Jeremiah 23:23-24).

"The eyes of the Lord are everywhere, keeping watch on the wicked and the good” (Proverbs 15:3).

"My eyes are on all their ways; they are not hidden from me, nor is their sin concealed from my eyes.” (Jeremiah 16:17)

God not only sees our actions, he knows our thoughts:

"You perceive my thoughts from afar. Before a word is on my tongue you know it completely, O Lord.” (Psalm 139:2, 4)

"[God] knows the secrets of the heart.” (Psalm 44:21)

"I the Lord search the heart and examine the mind.” (Jeremiah 17:10)

In temptation our theology becomes very cloudy. The truth is, there is no such thing as a private moment. God is never in the dark. He is always watching. We may fool ourselves and others, but never God. He knows what we’re thinking about and what we’re doing. And it is his appraisal of our life that ultimately matters.

15. When you sense the temptation coming, before things start to get out of control, RUN.

“Flee from sexual immorality” (1 Corinthians 6:18). When it comes to sexual temptation, it always pays to be a coward. In this battle, retreat is always the first line of defense. He who hesitates (and rationalizes) is lost.

Joseph demonstrated this with Potiphar’s wife:

"And though she spoke to Joseph day after day, he refused to go to bed with her or even be with her . . . She caught him by his cloak and said, ‘Come to bed with me!’ But he left his cloak in her hand and ran out of the house.” (Genesis 39:10, 12)

Joseph not only refused to go to bed with her but to “even be with her.” He saw the danger signs and avoided her. And when she finally pushed herself on him, he did not trust himself to stay where he was, but ran out of the house. Don’t stay and try to “resist” temptation when you have the option of running from it. And don’t choose to be near someone when that person is a source of temptation to you, or you are to her.

16. Write out your own standards and enforce them yourself—never depend on your date.

You as an individual are responsible and accountable to God for what you do (Romans 14:10-12; 2 Corinthians 5:10). Someone else’s convictions or lack of convictions, or self-control or lack of self-control is not the issue. (Though you should never be dating someone who lacks convictions and self-control). You are fully responsible for your behavior. If you fall into sexual immorality you have yourself to blame. Pointing the finger at someone else doesn’t cut it.

17. Make your moral decisions in advance—not in the time of temptation.

If you set your alarm clock at night and tell yourself you’ll decide in the morning whether you need to get up when the alarm goes off, you may as well not set it. Either you are committed to getting up or you’re not. If it’s left to your feelings in the moment of truth, you’ll make the wrong decision. Again: in the moment of strength make choices that will serve you well in the moment of weakness.

18. Memorize Scripture on sexual purity and quote it when tempted.

“I have hidden your Word in my heart that I might not sin against you” (Psalm 119:11). When Satan tempted him, Jesus quoted Scripture to resist. When the attacks come, and they will, be ready to take up the sword of the Spirit, which is the Word of God (Ephesians 6:17). There are many Scripture passages in this handout. Choose some, then write each one on a note card and work on memorizing them.

19. Don’t do anything with your date you wouldn’t want someone else doing with your future mate.

Somewhere out there is the man or woman you’re going to marry. What do you want them to be doing now with someone else? Then live by that standard yourself. “Do to others as you would have them do to you” (Luke 6:31).

20. Look out for the “moral wear down” of long dating relationships and long engagements.

It’s easy to peak out emotionally, to wear down in the battle for sexual purity, to begin to rationalize that you’re really a couple, and after all you’ve been dating for years and maybe you think you’re going to get married anyway, so you’re “almost” or “sort of” married, right? Wrong. When it comes to the freedom to have sex there’s just two kinds of people—the unmarried, who don’t have that freedom, and the married, who do.

Don’t get engaged until you can put the wedding in sight. When you’re engaged people begin to treat you as no longer single, when in fact you are. You can be deceived into slipping into some of the privileges of marriage before marriage, especially sexual intimacy.

21. If you’ve violated some of these guidelines, confess, repent and implement a plan to prevent future violations.

When you confess and repent of your sins, God will cleanse you:

"As far as the east is from the west, so far has he removed our transgressions from us.” (Psalm 103:12)

"If we confess our sins, he is faithful and just and will forgive us our sins and purify us from all unrighteousness.” (1 John 1:9)

A man once confessed to his priest, “Father, forgive me for stealing a half load of hay last night . . . no, make it a whole load.” The priest said, “Which was it, a half load or a whole load?” The man replied, “Make it a whole load . . . I’m going back tonight for the other half.”

Confession is not genuine when you are planning to repeat the same sin. There must be true repentance.

Even if you are no longer a virgin you can and should commit yourself to secondary virginity—to remain sexually pure from this day forward, preserving yourself only for your marriage partner, should God choose to give you one. You need more than good intentions to maintain your purity—you need a plan. The plan you formulate may incorporate a number of elements we’ve mentioned, but it should include avoidance and accountability. If you are committed to a relationship with a growing Christian discuss it honestly and formulate a plan to prevent falling back into premarital intimacy.

22. Be radical—do whatever it takes to guard your sexual purity.

When it comes to causes of sin, don’t wait for them to taper off on their own (they never will), take decisive steps to cut them off. Consider Christ’s powerful words in Matthew 5 (repeated in 18:8-9):

"You have heard that it was said, ‘Do not commit adultery.’ But I tell you that anyone who looks at a woman lustfully has already committed adultery with her in his heart. If your right eye causes you to sin, gouge it out and throw it away. It is better for you to lose one part of your body than for your whole body to be thrown into hell. And if your right hand causes you to sin, cut it off and throw it away. It is better for you to lose one part of your body than for your whole body to go into hell.” (Matthew 5:27-30)

I believe Jesus uses this shocking picture to persuade his listeners to do whatever is necessary to deal with temptation. (The hand and eye are not the causes of sin, but the eye is a means of access for both godly input and temptation, and the hand an instrument of action, either sinful or righteous. What the eye looks at and the hand touches is what we must carefully govern to guard our purity.) Removing a television from a home, getting rid of a computer, or going out of your way to never walk by a magazine rack may appear drastic measures, but they’re nothing compared to gouging out an eye or cutting off a hand! Jesus is teaching us that we need to think much more radically and counter—culturally in our efforts to be sexually pure.

Don’t be casual or gradual, be decisive. If that means never going onto the Internet, never going into a video store, never being with a certain person, never listening to certain kinds of music, then make that resolution, no matter how radical or extreme it seems. (The Bible doesn’t tell me I must watch TV or videos or send email—it does tell me I must guard my mind from impurity.) You might think “I should be strong enough to resist this temptation,” but if you aren’t, take every step to avoid it. If these things seem like crutches, fine—use whatever crutches you need to help you walk.

A Christian businessman who travels nearly every week told me his walk with God had been completely eroded because of one reason—he stayed in hotels and had a long history of failing to resist the temptation presented by the “black box” on top of the TV set, which kept enticing him to view pornographic movies.

After years of guilt and regret, followed by succumbing again and again to this same temptation, he finally changed his strategy. One day when he checked into a hotel, he said “Please have the TV removed from my room.”

When the desk clerk said, “Sir, if you don’t want to watch TV, just don’t turn it on,” he replied, “I’m a paying customer, and I’d like the television removed.” They sent in a maintenance man to remove it and he spent his late evenings reading Scripture and Christian books with no temptation toward viewing.

In the moment of strength he made a decision that kept him from temptation in the moment of weakness. He told me he has done this in every hotel he stays at for the last three years and said, “This single action has revolutionized my Christian life.”

If this means never being alone behind closed doors with your date, so be it. Do whatever it takes. Get creative, get radical, and do all you can to avoid temptation.

23. Count the cost of impurity.

Rehearse in advance the devastating consequences of sexual sin and you’ll be less likely to commit it.

The consequences are serious and many of them are ongoing—losing your virginity, disappointing your Lord, being a bad example to family or friends, having in the future to tell someone you love; the strong possibility of unwanted pregnancy and serious sexually transmitted diseases; the mental images of your sexual sin that can plague you; the hindrances to marriage produced by premarital sex; the greater possibility of extramarital sex (adultery) among those who’ve had premarital sex.

Remember that if you do commit the sin of fornication, that can never be neutralized by the greater sin of abortion. Premarital sex is a sin; pregnancy isn’t a sin. Don’t make a child pay the consequences for your wrong choice. Have the courage to make the right choice now.

Don’t tell yourself you may as well go ahead and sin since God will forgive you anyway. This cheapens the grace of God. Any concept of grace that makes sin seem unimportant is not biblical. God forgives when we sincerely repent, but if we sincerely repent we will show it by taking necessary steps to avoid temptation. Even a forgiven person must deal with many consequences to his sin. If I get drunk, drive recklessly, run over a six year old girl and kill her, if I repent, God will forgive me. But his forgiveness will not bring the girl back to life, nor will it absolve me of legal and relational consequences of my sin. Sexual sin has lasting consequences—don’t presume upon God’s forgiveness to take them all away. He removes guilt, but he doesn’t always remove consequences. That’s just how life works.

“It is God’s will that you should be sanctified: that you should avoid sexual immorality; that each of you should learn to control his own body in a way that is holy and honorable, not in passionate lust like the heathen, who do not know God.” (1 Thessalonians 4:3-5).

Final Thoughts

Are you ready to commit or recommit yourself to a life of sexual purity? Now is the time. Nothing is more fleeting than the moment of conviction. Respond now, or you may never respond.

Don’t deny reality. God made a universe in which righteousness is always rewarded in the long run, and unrighteousness is always punished in the long run. What’s right is always what’s smart:

”I the LORD search the heart and examine the mind, to reward a man according to his conduct, according to what his deeds deserve.” (Jeremiah 17:10).

”Does not he who weighs the heart perceive it? Does not he who guards your life know it? Will he not repay each person according to what he has done?” (Proverbs 24:12)

”For the Son of Man is going to come in his Father’s glory with his angels, and then he will reward each person according to what he has done.” (Matthew 16:27)

”‘Well done, my good servant!’ his master replied. ‘Because you have been trustworthy in a very small matter, take charge of ten cities.’” (Luke 19:17)

”God will give to each person according to what he has done.” (Romans 2:6)

”Because you know that the Lord will reward everyone for whatever good he does.” (Ephesians 6:8)

Live in such a way as to hear your Lord say to you one day, “Well done.” Get on the right side of the universe’s moral system. Honor God by living in sexual purity. If you do, you’ll experience his blessing and rewards not only today, tomorrow, and ten years from now, but throughout eternity.

“I made a covenant with my eyes not to look lustfully at a girl. For what is man’s lot from God above, his heritage from the Almighty on high? Is it not ruin for the wicked, disaster for those who do wrong? Does he not see my ways and count my every step? If I have walked in falsehood or my foot has hurried after deceit—let God weigh me in honest scales and he will know that I am blameless—if my steps have turned from the path, if my heart has been led by my eyes, or if my hands have been defiled, then may others eat what I have sown, and may my crops be uprooted. If my heart has been enticed by a woman, or if I have lurked at my neighbor’s door, then may my wife grind another man’s grain, and may other men sleep with her. For that would have been shameful, a sin to be judged. It is a fire that burns to Destruction; it would have uprooted my harvest.” (Job 31:1-12)

The Purity Principle includes practical guidelines to protect purity, for singles, for married couples, and for parents who wish to train their children in purity. These include controlling the television and internet, and offering alternatives for how to spend our time. It also includes confession, repentance and developing biblical accountability that doesn’t just admit sin, but prevents it.

Photo by Ryan Holloway on Unsplash

Randy Alcorn, founder of EPM

Randy Alcorn (@randyalcorn) is the author of over fifty books and the founder and director of Eternal Perspective Ministries